uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
“Gosto de lidar com as pessoas e de ouvir as suas histórias e desabafos”

“Gosto de lidar com as pessoas e de ouvir as suas histórias e desabafos”

Hélder Eugénio é proprietário da Funerária Virgílio Borges Eugénio na Carregueira

Edição de 19.01.2017 | Três Dimensões

Hélder Eugénio nasceu na Carregueira há 46 anos e foi lá que fez o ensino básico. Começou, ainda criança, a ajudar os pais na drogaria que agora é sua e também deu continuidade à agência funerária que a família possuía. Quem o ajuda nos negócios é a esposa. É a ela e ao filho que dedica a maior parte do seu tempo livre. Não marca férias mas sempre que pode tira um dia ou outro para ir até Alcongosta, no concelho do Fundão. Do que mais gosta é de lidar com as pessoas no dia-a-dia e ouvir as suas histórias e os seus desabafos.

Grande parte da minha infância foi passada na drogaria dos meus pais. Ao princípio só brincava mas a pouco e pouco fui começando a ajudar no atendimento dos clientes. Na adolescência, com 15 anos, já trabalhava a sério com eles. Os meus pais deram continuidade aos negócios do meu avô, que eram a drogaria e a agência funerária.
Gostei muito da escola primária e das amizades que lá fiz. Estudei na Carregueira e depois fiz o terceiro ciclo na Chamusca. Mais tarde fiz o curso de Reconhecimento Validação e Certificação de Competências, com equivalência ao 12º ano.
A minha prioridade actual em termos de trabalho é a agência funerária. É um serviço que requer muita calma e serenidade. Mas no dia-a-dia, quando não há trabalho na agência, trabalho na drogaria. Atendo os clientes e faço entregas ao domicílio.
Fiz formação para responsável técnico da agência funerária e desempenho esse cargo. O curso foi na Associação de Agentes Funerários do Centro. Nos serviços fúnebres tento através do diálogo atenuar a dor dos familiares.
As novas tecnologias vieram facilitar o trabalho. Reconheço que com elas é tudo mais rápido e mais fácil mas não sou utilizador das redes sociais. Gosto de lidar com as pessoas e de ouvir as suas histórias e os seus desabafos. Há clientes que é como se fossem da minha família.
Fala-se em recuperação da economia e tem-se sentido alguma coisa mas pouco. O principal para quem tem negócios é não baixar os braços. Também ajuda sermos optimistas sem sermos irrealistas.
Gosto de acompanhar o meu filho aos treinos e jogos de futebol. Quando é possível também gosto de ver os jogos do Benfica e de conviver com a família e os amigos. Não posso marcar férias numa altura certa por causa do meu trabalho mas vou tirando uns dias. Gosto de ir até Alcongosta que fica na Serra da Gardunha e é a terra do meu sogro. Também gosto de ir à praia. Gostaria de visitar as ilhas dos Açores.
Adoro o meu Ribatejo porque é uma zona de natureza calma e tranquila. Temos a charneca e a lezíria que são muito bonitas. No Ribatejo também há restaurantes muito bons onde se pode apreciar a gastronomia tradicional. E também temos muitos bons vinhos.
Sou aficionado da festa brava. O que mais aprecio é a coragem dos forcados e a elegância dos cavalos e cavaleiros. As corridas de toiros não podem acabar pois fazem parte das nossas tradições.
O meu grupo musical preferido é Red Hot Chili Peppers. Na música portuguesa aprecio bastante Xutos e Pontapés. O filme de que mais gostei e me fez reflectir sobre o que é verdadeiramente importante foi “Beleza Colateral”. O meu maior sonho é que os meus filhos tenham saúde e alegria de viver e que haja gente de boa fé em seu redor. O meu maior medo é o sofrimento

“Gosto de lidar com as pessoas e de ouvir as suas histórias e desabafos”

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido