uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Em Mação todas as pessoas se conhecem e se cumprimentam

Em Mação todas as pessoas se conhecem e se cumprimentam

Solicitadora Ana Isabel Silva elogia a qualidade de vida da sua terra

Edição de 03.01.2018 | Três Dimensões

Ana Isabel Silva tem 37 anos, é natural de Chão de Codes, concelho de Mação e foi em Mação que abriu um escritório de solicitadoria em Abril de 2017. Elogia a qualidade de vida do seu concelho, gosta de viajar e diz que uma das primeiras medidas para travar a desertificação do interior é acabar com as portagens na A23.

As portagens na A23 são um dos grandes entraves ao desenvolvimento dos concelhos do interior. As pessoas podiam visitar o concelho, que tem boas ofertas de restauração e património natural muito interessante e não o fazem. Esta situação devia ser alterada.

Se eu estivesse na política a minha prioridade era atrair empresas para o interior do país. É essencial isso ser feito. Só com emprego é que se consegue evitar a saída dos jovens.

As pessoas nas grandes cidades passam umas pelas outras com ar desconfiado. A vida lá é stressante e as pessoas sentem-se inseguras. Aqui em Mação, por exemplo, todos se cumprimentam e há sempre uma palavra amiga quando é necessária.

Tenho duas filhas e levá-las à escola todos os dias é uma tarefa muito simples e pouco demorada. Se vivesse numa grande cidade o mais certo era ter a vida complicada. Pela demora no trânsito, pelas distâncias. Aqui há segurança e as crianças podem brincar na rua, como antigamente eu fazia. As escolas são muito boas e a natureza garante ar puro e tranquilidade.

Não vou esquecer este ano por causa das fogos florestais. Fiquei marcada pelo que aconteceu aqui em Mação. No meio do perigo e do caos revelaram-se casos de grande união. Só assim foi possível salvar vidas e bens.

A ambição desmedida assusta-me. Gosto de pessoas que lutam pelos seus objectivos pessoais e profissionais, sem pisar ninguém. A vida já me deu alguns dissabores mas consegui ultrapassar sempre as dificuldades. E fi-lo porque tive a ajuda da família, que é o pilar da vida.

As qualidades que mais aprecio nas pessoas são a frontalidade, a honestidade e a simplicidade. Não tolero pessoas com duas faces. Pessoas que pela frente se fazem de anjos e que assim que nos voltamos nos cravam uma faca nas costas.

Viajar é uma das coisas que mais gosto de fazer. Este ano tenho uma viagem surpresa programada. Todos devíamos ter a oportunidade de fazermos o que gostamos. Nesse aspecto considero-me uma privilegiada. Dançar faz-me feliz e não dispenso um bom filme. “ Titanic” é um filme que vejo e revejo e que sempre me emociona.

Estudei sempre nas escolas de Mação e tenho excelentes recordações. Depois de fazer o 11º ano resolvi trabalhar. Entrei para um escritório de advocacia, onde fazia todo o trabalho administrativo e onde estive dez anos. Gostei muito.

Quando decidi voltar a estudar, fiz o exame para maiores de 23 anos de acesso ao ensino superior. O curso de solicitadoria pareceu-me uma boa opção. Fiz exames de Português e Economia. As notas superaram as minhas expectativas e entrei, em 2012 na Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova.

Depois de terminar o curso decidi abrir o escritório aqui em Mação. O ano que terminou foi muito bom em termos profissionais. Espero que este também seja um ano de sucesso, para mim e para todos os portugueses.

Em Mação todas as pessoas se conhecem e se cumprimentam

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...