uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
30 anos do jornal o Mirante
Pimenta Braz diz-se triste e espantado e vai recorrer das sanções aplicadas pelo Governo
Pimenta Braz foto arquivo O MIRANTE

Pimenta Braz diz-se triste e espantado e vai recorrer das sanções aplicadas pelo Governo

Ex-vereador da Câmara de Santarém foi demitido da liderança da Autoridade para as Condições do Trabalho acusado de divulgar dados pessoais de uma funcionária.

Edição de 11.01.2018 | Sociedade

Pedro Pimenta Braz confessa-se triste, surpreendido e espantado por ter sido demitido pelo Governo do cargo Inspector Geral do Trabalho e pelas sanções acessórias que lhe foram aplicadas por ter divulgado dados pessoais de uma inspectora da ACT (Autoridade para as Condições do Trabalho). O visado garantiu a O MIRANTE que vai recorrer em tribunal dessas decisões reveladas na terça-feira, 9 de Janeiro.
O ex-vereador da Câmara de Santarém, que terminava a sua comissão de serviço como líder da ACT no dia 21 de Janeiro, ficou também impedido de exercer cargos dirigentes na administração pública durante três anos e foi sujeito a uma suspensão do serviço por 60 dias. Só a 9 de Março deve regressar ao trabalho como inspector da ACT na delegação de Santarém.
Pimenta Braz, que é militante do PS em Santarém, foi exonerado por ter divulgado um documento com dados pessoais de uma funcionária da ACT no âmbito de um processo de mobilidade interna pedido por esta e que o Inspector Geral recusou em primeira instância. A funcionária apresentou um recurso ao secretário de Estado do Emprego pedindo a revogação da decisão de Pedro Braz, o que foi aceite pelo governante.
A O MIRANTE Pimenta Braz considera-se vítima de uma injustiça e diz que as questões jurídicas serão dirimidas em tribunal. Refere que se limitou a encaminhar internamente o despacho do secretário de Estado sem fazer qualquer comentário. Essa situação motivou o processo disciplinar que levou à sua exoneração. “Estou triste com toda a situação e ao mesmo tempo surpreendido e espantado com todo o processo. Para mim é uma medalha que quero ostensivamente mostrar aos meus filhos. E como vivemos num Estado de Direito vou lutar pela minha inocência”, afirmou.
Referiu ainda que nunca tinha passado por uma situação destas e lamenta que a demissão tenha ocorrido a escassos dias do fim da sua comissão de serviço quando já havia um entendimento mútuo de que não iria continuar na liderança da ACT.
Pedro Pimenta Braz iniciou funções na direcção da ACT em Janeiro de 2013 nomeado pelo então ministro da economia Álvaro Santos Pereira. Pimenta Braz vai manter-se na ACT como inspector.

Pimenta Braz diz-se triste e espantado e vai recorrer das sanções aplicadas pelo Governo

Comentários

Mais Notícias

    A carregar...