Agora Falo Eu | 02-09-2021 15:00

Manuel Oliveira

Manuel Oliveira
Manuel Oliveira (foto DR)

56 anos - Secretário da União Freguesias de Parreira e Chouto

Era capaz de se tornar vegetariano?

Sim, se fosse preciso proteger as espécies animais a abater.

Devia haver mulheres a arbitrar jogos de futebol da Primeira Liga?

Por mim acho bem. Pelo que tenho visto noutros países há mais respeito por parte dos jogadores e os jogos têm decorrido muito bem.

Vale a pena ir votar?

Votar é uma forma de demonstrar opinião, vontade ou preferência por algo ou por alguém. Ao votarmos num candidato expressamos a vontade que ele seja eleito.

Com que idade é que acha que se vai reformar?

Talvez 60 ou 62 anos. Tudo depende da saúde e do estado físico para poder trabalhar.

Acha possível virmos a sofrer atentados terroristas como os que aconteceram noutros países?

Penso que não.

O que o leva a fazer “zapping” na televisão?

Faço zapping quando não gosto do que está a dar como, por exemplo, “reality shows” ou debates desportivos.

Lê as notícias em jornais ou prefere a Internet?

Leio na Internet porque é a forma mais fácil de aceder às notícias em qualquer local e hora.

Quando andava na escola gostava mais de Português ou de Matemática?

Português.

Como gosta de ser lembrado?

Como uma pessoa simples e honesta e sempre pronta a ajudar o próximo.

É daquelas pessoas que gosta de estacionar o automóvel à porta de todos os locais onde vai?

Depende do local e do espaço existente. Não tenho por hábito deixar o carro mal estacionado só para ficar mais perto dos locais aonde vou.

Quem gostaria de ser se não fosse quem é?

Não me revejo noutra pessoa. Gosto da pessoa que sou.

Em quantas localidades viveu até agora, desde que nasceu?

Vivi em Ourém por uma questão de trabalho e gosto de Ourém mas sempre tive casa no Chouto e, aos fins-de-semana, sempre que podia lá estava eu. É nesta aldeia que me identifico.

Os programas de culinária da televisão abrem-lhe o apetite? E dão-lhe vontade de cozinhar?

Não tenho por hábito ver programas de culinária e cozinhar não é o meu forte.

O que é que lhe provoca um sono irresistível?

Se estiver bem com tudo e todos consigo dormir sem problemas.

Este ano foi bom para si? O que espera de 2022?

Nem por isso. Tive alguns problemas de saúde e por isso espero que 2022 seja melhor, não só para mim mas para todos nós.

Se lhe oferecessem bilhetes para a Ópera ia ver mesmo que fosse obrigatório usar fato escuro ou “smoking”?

Não ia, porque não tenho qualquer conhecimento de ópera.

Alguma vez pensou escrever um livro? E se escrevesse um escrevia sobre que assunto?

Já pensei escrever um livro sobre costumes e tradições da minha aldeia.

Todas as tradições devem ser defendidas ou há algumas que mais vale esquecê-las?

Todas as tradições devem ser defendidas, principalmente as das nossas aldeias e regiões. Já quanto às praxes académicas, por exemplo, não sou contra mas não concordo com os exageros das mesmas.

Quantos cafés bebe por dia?

Bebo dois ou três cafés por dia, porque me dão alguma energia, principalmente de manhã.

Ainda é capaz de elogiar a beleza de alguém ou prefere não o fazer para não ser acusado de assédio?

Elogio mas dentro do respeito e educação.

Lembra-se da maior extravagância que fez na sua vida?

Nunca fiz qualquer extravagância. Sempre me tenho controlado.

Se vir alguém deitar lixo para o chão diz-lhe alguma coisa? Que resposta costuma receber?

Sim, digo e costumam-me responder que o fazem porque o empregado da limpeza não tem nada para fazer. Mas são cada vez menos essas situações. Houve uma grande evolução na mentalidade do ser humano e ainda bem para o meio ambiente.

Costuma utilizar auto-estradas mesmo tendo estradas alternativas?

Só utilizo auto-estradas quando tenho pouco tempo para chegar onde quero.

Quando tem uma dor de cabeça toma imediatamente um comprimido ou espera que ela passe?

Normalmente não tomo no imediato. Só tomo se a dor persistir.

Já visitou algum museu da região?

Sim, o Museu da Cera em Fátima.

Mais Notícias

    A carregar...