Cartas do Brasil | 01-06-2020

Visita ao arquipélago das Cagarras no Rio de Janeiro

1 / 8
Visita ao arquipélago das Cagarras no Rio de Janeiro
2 / 8
Visita ao arquipélago das Cagarras no Rio de Janeiro
3 / 8
Visita ao arquipélago das Cagarras no Rio de Janeiro
4 / 8
Visita ao arquipélago das Cagarras no Rio de Janeiro
5 / 8
Visita ao arquipélago das Cagarras no Rio de Janeiro
6 / 8
Visita ao arquipélago das Cagarras no Rio de Janeiro
7 / 8
Visita ao arquipélago das Cagarras no Rio de Janeiro
8 / 8
Visita ao arquipélago das Cagarras no Rio de Janeiro

O Projecto Ilhas do Rio organiza anualmente mutirões de limpeza, além de congregar iniciativas de pesquisa e educação ambiental, essenciais no suporte à conservação do meio ambiente na cidade do Rio de Janeiro.

Fizemos individualmente os registos de presença, recebemos camisas azuis próprias para banho, e embarcamos. Antes de subir a bordo, avistei uma tartaruga que se alimentava próximo ao cais, submersa nas águas poluídas da Marina da Glória – a tartaruga e sua resiliência. Era uma manhã nublada de Novembro de 2019. Céu cinza sobre mar castanho; barcos brancos desfechavam a monocromia.

Avançamos lentamente rumo ao arquipélago das Cagarras, passando por todas as enseadas da Zona Sul do Rio de Janeiro. Ao longe, a floresta ganha vulto – pensei, ao cruzarmos a praia Vermelha. Imerso nos caminhos de concreto da cidade, é fácil esquecer os morros florestados, as trilhas e cachoeiras. Do mar, no entanto – com o distanciamento físico essencial a certas aproximações mentais – a vista é de uma costa sulcada por blocos fálicos de granito, que como socos na lâmina da crosta, de dentro para fora, deixaram em prova da violência geológica os monolitos, povoados milenarmente pela flora e fauna que evoluíram em seus flancos. Do mar, a cidade ganha aspectos de floresta, os prédios se apequenam diante das grandes rochas, a névoa confunde-se com a cinza urbana.

Cochilei quando chegávamos à orla de Ipanema, e acordei sobre as águas do arquipélago; a ilha Cagarra se erguia muito próxima, listas de guano marcando seus paredões. Um pouco à frente, a ilha Comprida, mais receptiva, oferecia um pequeno aglomerado de rochas menores para a subida – as outras ilhas se elevavam quase perpendiculares à superfície marinha. Ouvimos algumas instruções de um montanhista que guiava os participantes. Coloquei minha câmera na mochila estanque e pulei no azul denso do mar, ávido por fugir do balanço do barco.

Em terra, nos dividimos em dois grupos: o montanhista guiou o primeiro, seguindo ao redor da ilha Comprida; o outro grupo fez um caminho alternativo, ambos colectando lixo. A ilha é relativamente pequena, mas de uma das bordas não se avista a outra, devido aos pequenos promontórios e à vegetação de restinga. Durante a colecta, iniciou-se uma fina garoa, enquanto caminhávamos nas encostas. O mutirão, apesar das pequenas dificuldades, logrou recolher aproximadamente cinquenta quilos de resíduos, posteriormente separados e destinados à reciclagem.

O Projeto Ilhas do Rio foi criado em 2011 com o intuito de auxiliar na gestão do Monumento Natural do Arquipélago das Ilhas Cagarras, composto por sete ilhas, que distam cerca de cinco quilómetros da costa. A ilha Redonda, com 237 metros de altura, abriga importantíssimo ninhal de fragatas, e situa-se alguns quilómetros adiante das outras no mar aberto, em sua régia reclusão maternal. Nela também foram encontrados artefatos arqueológicos, como machados de pedra e fragmentos de cerâmica – um sítio foi demarcado em 2012 e identificado como Tupi guarani. A ilha Cagarra dá nome ao arquipélago, provavelmente em decorrência das marcas de fezes de aves marinhas que tingiram o gnaisse com faixas brancas ao longo dos anos. O Projecto Ilhas do Rio organiza anualmente mutirões de limpeza, além de congregar iniciativas de pesquisa e educação ambiental, essenciais no suporte à conservação do meio ambiente na cidade do Rio de Janeiro.

Site do projeto: ilhasdorio.org.br

Textos e fotos por Rainer Seffrin

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1463
    09-07-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1463
    09-07-2020
    Capa Vale Tejo