Cultura | 11-09-2023 07:00

Dança e música histórica animaram Tomar

Dança e música histórica animaram Tomar
Volarius é um grupo de danças medievais recreativas fundado em Santa Maria da Feira há seis anos. Phelan Naois foi fundado em Tomar pelo casal Carlos Ferreira e Inês Lopes que tocam músicas tribais, medievais e de vários estilos europeus

Centro histórico de Tomar foi palco de espectáculos de música e dança histórica na tarde de sábado. O MIRANTE dá a conhecer o trabalho do grupo Phelan Naois, de Tomar, e o Volarius, de Santa Maria da Feira, dois dos mais animados da iniciativa.

O Festival de Dança e Música Histórica decorreu no sábado, 2 de Setembro, no centro histórico da cidade de Tomar. A iniciativa organizada pela Thomar Honoris contou com a participação de grupos de dança e música histórica portugueses em diversas arruadas. Recanto, Zukra, Alanos, Scalarium, Dway, Volarius, Phelan Naois e Patos Bravos foram os grupos que encheram as ruas com alegria e atraíram a atenção de moradores e turistas que viajaram no tempo com os trajes, músicas e danças de outras épocas.
Fundado em Tomar, em 2021, pelo casal Carlos Ferreira, de 31 anos, e Inês Lopes, de 29 anos, o grupo Phelan Naois toca músicas tribais, medievais e de diversos estilos europeus. O grupo foca-se em retratar o povo e as festas em diferentes períodos históricos, desde o romano até ao medieval. As roupas e acessórios típicos da época são encontrados facilmente em lojas ou feitos por artesões portugueses. Desde pequeno que Carlos Ferreira é músico na Banda Filarmónica da Sociedade Recreativa e Musical da Pedreira, em Tomar. O interesse pela música surgiu quando ouvia diversos estilos, influenciado pelo pai que tocava guitarra, e pelos filmes que via. O grupo composto pelo casal, que prevê a entrada de um novo elemento em breve, tem vários reportórios de música preparados consoante o evento, como feiras, arruadas, procissões, mercados, entre outros. Durante o recente festival, Carlos Ferreira tocou gaita de foles e flauta irlandesa, acompanhado por Inês Lopes, que está na área há cerca de oito anos por influência do parceiro e toca tambor.

Uma viagem de 200 quilómetros
O grupo de dança Volarius, fundado há seis anos em Santa Maria da Feira por Cláudia Cruz, de 30 anos, é caracterizado pelos seus dançarinos profissionais apaixonados por danças medievais recreativas. Fizeram 200 quilómetros para participar no festival e afirmaram-se satisfeitos com a decisão. Têm como objectivo divertirem-se pelas feiras a mostrar o que constroem em cada ano enquanto divertem o público. O reportório de danças é criado e ensaiado pelos elementos durante cerca de três meses no início de cada época. O grupo formado por 10 elementos desenha as próprias roupas, que são confeccionadas por uma costureira.
A ideia de formar o Volarius surgiu devido a um evento de recriação medieval que decorre em Santa Maria da Feira, onde a comunidade é incentivada a participar. O convite a Cláudia para coreografar um espectáculo desencadeou a ideia de, no ano seguinte, apresentar um projecto apenas de danças. A partir daí, o grupo foi crescendo e este ano, que está a ser marcado por grande adesão de pessoas a querer aprender este estilo de dança, vão actuar pela primeira vez em Espanha.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo