Cultura | 13-01-2024 21:00

Santa Casa da Misericórdia de Pernes apoia 300 famílias com pouca ajuda do Estado

Santa Casa da Misericórdia de Pernes apoia 300 famílias com pouca ajuda do Estado
Órgãos sociais da Santa Casa da Misericórdia de Pernes tomaram posse para o quadriénio de 2024/2027

Novos órgãos sociais da Santa Casa da Misericórdia de Pernes tomaram posse para o mandato 2024/2027. O provedor reeleito, Manuel Maia Frazão, diz que, provavelmente, este será o seu último mandato no cargo. A conclusão do novo lar de idosos é um dos projectos prioritários.

A Santa Casa da Misericórdia de Pernes assinou, em Dezembro de 2023, o auto de consignação que permite avançar com a segunda fase da construção do novo lar de idosos. A primeira fase está concluída e entre final de Janeiro e início de Fevereiro os utentes vão ser transferidos para o novo espaço. Esta era uma obra há muito sonhada. A informação foi dada pelo provedor da instituição, Manuel Maia Frazão, durante a tomada de posse dos novos órgãos sociais, que decorreu na tarde de domingo, 7 de Janeiro, na Igreja da Misericórdia, em Pernes, concelho de Santarém.
“Espero que a passagem para o novo lar de idosos e o início da realização da segunda fase desta obra, que todos ansiámos, seja proveitosa para os utentes, onde espero que se sintam muito bem aproveitando as excelentes condições que o edifício vai permitir”, referiu Manuel Maia Frazão, acrescentando que este será, provavelmente, o seu último mandado como provedor. Outro dos projectos para o mandato de 2024/2027 é dar continuidade às diligências de legalização do loteamento habitacional em Pernes. O objectivo é poder vender os respectivos lotes para captar e fixar pessoas. “Esta é uma das nossas prioridades uma vez que sentimos ser fundamental criar habitação para as pessoas se fixarem na freguesia”, sublinha o provedor, referindo que a instituição apoia cerca de 300 famílias e emprega mais de 90 trabalhadores.
A conservação, manutenção e reabilitação das infraestruturas e do património, tendo sempre em atenção a garantia da sustentabilidade financeira da instituição, é outro grande desafio, considera Manuel Maia Frazão, que dá como exemplo a realização das obras de reconstrução do prédio localizado na Rua Ferreira Borges e na Rua Saraiva de Carvalho, em Lisboa.

Instituições de solidariedade desempenham papel fundamental
O provedor reeleito considera que se vive um tempo em que alguns acreditavam que o Estado tudo podia fazer. “Hoje percebemos que as antigas instituições de solidariedade, das quais a Misericórdia de Pernes faz parte, tem um papel muito importante a representar, pois é vital para o dia-a-dia de muitas pessoas e não podemos vacilar. Há que encontrar estratégias de sustentabilidade para que possamos continuar a responder mais e melhor a todos quantos de nós dependem e que não encontram outra resposta que não seja na Misericórdia”, destaca.
Maia Frazão reforçou que a Santa Casa de Pernes, que celebra 437 anos de existência, apoia muitas pessoas sem obter da parte do Estado o devido apoio, o que gera um acréscimo financeiro na despesa extraordinária e obriga a encontrar soluções estoicamente. “Este é o desafio maior para os próximos quatro anos, para que a porta da Santa Casa, a última em que vamos bater, se possa continuar a abrir”, disse.
Presentes na cerimónia estiveram o bispo de Santarém, D. Manuel Traquina, o presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves e o director distrital da Segurança Social, Renato Bento, entre outras individualidades. Todos elogiaram o trabalho da Misericórdia de Pernes e mostraram disponibilidade para continuar a trabalhar em conjunto em prol dos mais desfavorecidos. No final da sessão a Misericórdia de Pernes, à semelhança de anos anteriores, ofereceu uma bandeira portuguesa, com 14 metros quadrados, em tapeçaria. Desta vez o homenageado foi Manuel Lemos, presidente da União das Misericórdias Portuguesas.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo