Cultura | 19-02-2024 10:00

Sala cheia na Azinhaga para assistir a leitura viva de Obra de José Saramago

Sala cheia na Azinhaga para assistir a leitura viva de Obra de José Saramago
Delegação da Fundação José Saramago, na Azinhaga, concelho da Golegã, promoveu uma sessão de leitura viva de "Ensaio sobre a lucidez"

A delegação da Fundação José Saramago na Azinhaga tem uma programação regular que procura incidir no pensamento e na obra do Nobel da Literatura, natural da aldeia ribatejana. A leitura viva de “Ensaio sobre a lucidez” teve sala cheia a reflectir sobre como é viver em democracia e que contou com a presença de muitos jovens.

A delegação da Fundação José Saramago, na Azinhaga promoveu uma sessão de leitura viva de “Ensaio sobre a Lucidez”, realizada na tarde de sábado, 10 de Fevereiro. A iniciativa, que teve como protagonista a actriz Rita Durão, foi pensada no âmbito dos 25 anos da atribuição do Prémio Nobel a José Saramago e dos 50 anos do 25 de Abril de 1974 levando à reflexão e debate sobre a democracia, um tema central e regular nas abordagens do escritor que faleceu em Junho de 2010.
Recorde-se que a 10 de Dezembro de 1998, nos 50 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, José Saramago lembrou a importância de se falar em deveres. “Tomemos então, nós, cidadãos comuns, a palavra e a iniciativa. Com a mesma veemência e a mesma força com que reivindicamos os nossos direitos, reivindiquemos também o dever dos nossos deveres. Talvez o mundo possa começar a tornar-se um pouco melhor”, disse José Saramago durante a cerimónia de entrega do Prémio Nobel de Literatura.
“Ensaio sobre a Lucidez” retrata um fenómeno eleitoral inesperado: um grande número de votos em branco gerou uma “epidemia branca”, resultando numa crise política. Para Rita Durão o voto em branco é “um pretexto maravilhoso para falar da vida das pessoas umas com as outras em sociedade e democracia” e José Saramago tinha de “conhecer muito a alma e o modo de estar português porque as pessoas transformam isto num problema gravíssimo”. A actriz acrescenta que o nome de “brancosos”, dado a quem votou em branco, foi uma sátira e caricatura muito bem pensada e escrita.
Desde Janeiro de 2022 que a delegação apresenta uma programação regular à volta do pensamento e da obra de José Saramago, natural da aldeia do concelho da Golegã. O número de visitantes da delegação em 2023 foi semelhante a 2022, ano em que se assinalou o centenário de José Saramago, chegando perto dos dois mil. A neta de José Saramago, Ana Matos, refere que há muito público estrangeiro, principalmente brasileiros e espanhóis que sentem que parte de Saramago também é sua. Em média realiza-se uma actividade por mês, como oficinas para crianças ou seniores, clubes de leitura, leituras vivas, exposições, visitas guiadas ou apresentação de livros.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo