Cultura | 19-03-2024 18:00

Sport Clube Operário é a associação que dá vida à aldeia de Cem Soldos

Sport Clube Operário é a associação que dá vida à aldeia de Cem Soldos
Filipe Cartaxo é o presidente do Sport Clube Operário de Cem Soldos que dá o seu contributo diariamente para dinamizar a aldeia

O Sport Clube Operário de Cem Soldos tem cerca de 800 sócios e uma direcção que trabalha voluntariamente para dinamizar a aldeia e dar respostas a toda a comunidade. O festival “Bons Sons” é o maior evento que organizam e que junta cerca de meio milhar de voluntários.

O Sport Clube Operário de Cem Soldos (SCOCS), no concelho de Tomar, é uma associação composta por um grupo de 25 elementos na direcção e tem mais de 800 associados que ajudam a dinamizar a aldeia. Fundada em Outubro de 1981, apesar de existir há mais de 60 anos, embora sem registo devido ao regime do Estado Novo, começou por estar centrada no desporto, com as modalidades de futebol, futsal e ciclismo, entretanto extintas. Há mais de 25 anos que têm um grupo de judo com centenas de atletas que participam em provas por todo o país.
O SCOCS expandiu-se para outras actividades sociais, recreativas, culturais e educativas para dar respostas a toda a comunidade, tendo disponível a prática de teatro, ginástica de manutenção, yoga, pilates e costura criativa, que veio substituir a oficina dos avós onde costuravam na companhia dos netos. O Centro de Actividades de Tempos Livres (ATL) também é um dos serviços que prestam às crianças de todo o concelho. Ao longo do ano organizam ainda o festival “Bons Sons”, concertos, caminhadas, torneios de matraquilhos e futsal, bailes, festas e participam em festivais e mostras de teatro.
Um dos grandes projectos em desenvolvimento é o “Lar Aldeia”, uma iniciativa destinada a proporcionar um envelhecimento activo com locais de convívio, actividades e ajuda com as compras de bens essenciais. “A ideia é conseguir que as pessoas fiquem em casa até ao máximo tempo possível com qualidade de vida”, explica o presidente do SCOCS, Filipe Cartaxo, de 27 anos, em conversa com O MIRANTE. A necessidade de equilibrar cuidadosamente as contas da associação sem comprometer a realização das actividades é um dos desafios que enfrentam. “As contas estão saudáveis mas temos de pensar e ponderar bem tudo aquilo que fazemos”, assume. O orçamento anual da associação, acrescenta, ronda o milhão de euros, sendo que o festival Bons Sons tem um investimento de cerca de 800 mil euros.

Bons Sons é o maior projecto da associação

O SCOCS é conhecido por organizar na aldeia o festival “Bons Sons”, que desde 2006 tem sido um ponto de encontro para os amantes da música, atraindo milhares de pessoas de todo o país e até do estrangeiro. “O festival vive de receitas próprias, principalmente a bilhética e aluguer de espaços”, refere o presidente. A aldeia de Cem Soldos recebe mais de 400 voluntários de todo o país que se unem para colocar de pé o festival de música que, este ano, decorre de 8 a 11 de Agosto. O “Bons Sons” tem capacidade para receber 35 mil pessoas, tendo já esgotado algumas fases da bilheteira antes de o cartaz completo estar lançado. “É um evento que exige muitas noites mal dormidas, meses de muito trabalho, esforço e cansaço, mas vermos milhares de pessoas a chegarem à aldeia enche-nos de orgulho”, afirma Filipe Cartaxo.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo