Cultura | 26-03-2024 18:00

Xana Carvalho: uma artista de Benavente com 25 anos de carreira e uma vida com muito para contar

Xana Carvalho: uma artista de Benavente com 25 anos de carreira e uma vida com muito para contar
Xana Carvalho está a preparar novas músicas para lançar nos 25 anos de carreira

Prestes a assinalar 25 anos de carreira a cantora Xana Carvalho deu uma entrevista a O MIRANTE onde recorda os momentos mais dramáticos da sua vida e fala abertamente da saúde mental.

Após o marido ter sido baleado na cabeça fez uma pausa na música e mudou-se para Benavente. Em 2017 soube que era bipolar e reaprendeu a viver com o diagnóstico. Influenciada pelo pai, que era cantor, nunca duvidou que a música também fazia parte da sua vida.

Tranquilidade e qualidade de vida foram os motivos que levaram a cantora Xana Carvalho a mudar-se com o marido e as duas filhas para Benavente. Passou a infância no concelho de Loures, onde estudou, mas em 2015 comprou casa com vista para a lezíria ribatejana.
A juventude foi passada no mundo do espectáculo ou não fosse o pai, António Rosa, cantor. Assistia aos ensaios e fazia questão de lhe pedir para subir ao palco. Encantava-se pela forma como o pai interagia com o público e começou a perceber que a música também tinha de fazer parte do seu percurso. Depois de ter participado no programa “Cantigas da Rua” e no “Chuva de Estrelas” decidiu que cantar era o plano A e não o B. Concluiu os estudos e trabalhou alguns anos em contabilidade, ao mesmo tempo que dava concertos ao vivo e participava em programas de televisão.
Já em Benavente, foi convidada pelo Grupo de Teatro Revisteiros para participar numa revista e foi um sucesso. “Travei uma amizade maravilhosa com o Joaquim Salvador e a Sónia Lapa e acompanho os seus trabalhos. Sinto que já faço parte da família dos Revisteiros que são pessoas fantásticas e que amam o que fazem”, conta. A cantora foi novamente convidada pelo grupo e em breve vai participar num espectáculo de revista.

Marido foi baleado
Xana Carvalho viveu momentos dramáticos em 2006 quando o marido, João Ferreira, militar da Guarda Nacional Republicana, foi baleado na cabeça com um tiro de caçadeira. A primeira filha tinha 26 dias de vida quando aconteceu o violento episódio e a cantora fez uma pausa na carreira artística. “Ele esteve nove dias em coma e foi muito doloroso. A esta distância falamos com uma certa leveza, mas foi uma fase da vida muito violenta. Tinha 24 anos e uma bebé acabada de nascer. Tínhamos uma vida tranquila e naquele momento foi-nos tudo roubado”, recorda.
Passou a viver em piloto automático e anulou-se enquanto ser e enquanto mulher. O foco era apoiar o marido e devolver o pai à filha. Foi um caminho longo. João Ferreira perdeu o olho esquerdo e ficou com epilepsia. Com o apoio da família voltou a fazer o que gosta e regressou à investigação criminal na GNR.
A cantora viveu a segunda gravidez mais tranquila e em 2011 nasceu a segunda filha. “Tenho pena que a minha filha mais velha não tenha tido tanto de mim mas não estava emocionalmente bem. Amamentei-a muitas vezes em lágrimas com o João internado no hospital”, conta.

Diagnóstico de bipolaridade
Em 2017 Xana Carvalho esteve nove dias internada na ala psiquiátrica do Hospital de Vila Franca de Xira depois de uma tentativa de suicídio. O estado depressivo em que estava levou-a a pensar desistir. Após a realização de exames médicos recebeu o diagnóstico de bipolaridade. “De início não aceitei que tinha um transtorno mental e que tinha de tomar medicação para o resto da vida. Mas depois muita coisa fez sentido. Sempre fui muito intensa e ou fico muito feliz ou muito triste”, descreve.
Hoje continua a ter crises depressivas e de euforia mas menos fortes e mais fáceis de gerir. A medicação, nomeadamente o lítio, fizeram a diferença e melhoraram a qualidade de vida. A doença bipolar não é falada fora do núcleo familiar mas Xana Carvalho, sempre que é abordada sobre o tema, considera que deve ser desmistificado o preconceito que ainda existe em relação à saúde mental. “O tema é abordado de forma mais leve mas ainda há um longo caminho a fazer. As pessoas têm receio de assumir que sofrem de transtorno por medo do julgamento da sociedade ou até da falta de oportunidades de trabalho. Ser bipolar não é uma condição fácil mas temos de nos adaptar”.
Nunca experimentou terapias alternativas mas tem curiosidade para saber até que ponto funcionam. Fez psicoterapia e descobriu alguns dos gatilhos emocionais que podem levar a uma crise. Agora tem ferramentas para gerir os episódios e resguardar-se.

25 anos de música
Em 2025 a cantora assinala 25 anos de carreira e está a preparar os singles para apresentar no próximo ano. Gosta de ir à televisão mas o que lhe enche o coração são os palcos e o contacto com o público. Quando visita os portugueses na Suíça, França e Luxemburgo sente-se da família porque as barreiras entre artista e público são quebradas pela saudade de Portugal. Sublinha que o mundo da música não é tão deslumbrante como pode parecer e que é uma vida instável. Mas aos 42 anos o percurso é mais tranquilo e a ansiedade que sentia já não está tão presente.
Enquanto cidadã, Xana Carvalho está preocupada com os extremismos: “Todos temos de lutar pelos nossos direitos mas não com imposições. Fico chocada pela forma como os jovens activistas se manifestam para se fazerem ouvir. Choca-me a falta de respeito pelas forças da autoridade. É preciso uma mudança firme, mas não radical, para sermos tratados com respeito. Existem linhas que não se podem ultrapassar e neste momento já estão muitas fora do eixo”.

Da televisão para os palcos

Alexandra Carvalho, 42 anos, é filha do cantor António Rosa e de Arcângela, professora de artes. Nasceu em Alcântara, Lisboa, mas passou a infância no concelho de Loures. Participou em 1996 no programa de televisão “Cantigas da Rua” e dois anos depois no programa “Chuva de Estrelas”, onde chegou à meia-final. Participou no programa “Parque Maior”, onde cantou Canção do Engate, de António Variações.
No ano 2000 gravou o primeiro trabalho discográfico, intitulado “Agitação, Paixão” e promoveu o disco em diversos programas de televisão. O disco atingiu o galardão de Disco de Prata. Em 2002 foi editado o CD “Dançar Sozinha” e em 2005 apadrinhou a marcha popular dos Olivais. Fez uma paragem na carreira em 2006, quando o marido foi baleado, e regressou aos palcos em 2012 com novas músicas. Em 2013 é editado o disco “Lady Latina” e em 2015 o CD “Tudo Ou Nada”. Em 2025 assinala 25 anos de carreira artística.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1660
    17-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo