Cultura | 30-03-2024 21:00

Uma artista e modelo que chegou a Tomar para ensinar cerâmica a jovens e adultos

Uma artista e modelo que chegou a Tomar para ensinar cerâmica a jovens e adultos
Daisy Eltenton cresceu em Lisboa, mas escolheu Tomar para viver depois de frequentar um curso de artes no País de Gales

Daisy Eltenton mudou-se para Tomar há três anos e tem ocupado o seu tempo a ensinar cerâmica a crianças e adultos na escola e em workshops. A artista explicou o processo de criação das peças e falou sobre as dificuldades que enfrenta.

Daisy Eltenton, de 27 anos, é uma artista de cerâmica que vive em Tomar há três anos, cidade onde tem vindo a introduzir o gosto pela arte com a organização de vários workshops e dinâmicas. Natural de Lisboa, onde viveu até aos 18 anos, decidiu ir para o País de Gales para estudar artes, tendo experimentado cerâmica, pintura, têxteis, metais, madeiras, entre outros. Apesar de ter frequentado o curso de Ciências e Tecnologias no ensino secundário, por acreditar que teria mais opções no mercado de trabalho, sempre se interessou pela cerâmica e por uma actividade onde pudesse ser criativa e dar asas à sua imaginação, criando as próprias peças ao seu estilo. As suas grandes inspirações são as formas e peças de cerâmica da Grécia antiga e da América do Sul caracterizadas pelos detalhes.
Após cinco anos no País de Gales, regressou a Portugal com o marido e decidiram instalar-se num sítio onde pudessem “criar raízes”, numa cidade de média dimensão, a uma distância curta de Lisboa, com boas acessibilidades, melhor clima e “boas sensações”. Encontraram a casa ideal perto da cidade sede de concelho, com muitas árvores de fruto, um belo espaço exterior, e um espaço para atelier onde Daisy Eltenton recebeu a repórter de O MIRANTE.

Como se desenrola o processo
Daisy Eltenton explica que prefere fazer peças à mão com técnicas como a lastra e os rolos, ao invés de utilizar a roda de oleiro, onde diz ser necessária muita prática. Começa com um bloco de barro que se corta com um arame dependendo da quantidade necessária para produzir a peça. A técnica de lastra é a que mais utiliza, esticando a massa com um rolo e cortando as formas para construir a peça. Durante o Inverno o barro demora cerca de duas semanas a secar, enquanto no Verão a peça pode ir à mufla (forno de cerâmica) no próprio dia. As peças passam por duas fornadas em altas temperaturas para o barro se transformar em cerâmica e, na segunda, para se meter o vidrado de forma a dar o acabamento e tornar a peça duradoura, atingindo os 1.280 graus. O processo demora cerca de 10 horas e mais 24 horas para arrefecer. As peças podem ser pintadas antes de cozidas ou entre fornadas, mas a artista prefere manter o efeito dos vidrados a altas temperaturas. Daisy Eltenton gosta de produzir canecas, taças e vasos com pegas extravagantes para as peças ganharem mais vida e personalidade.
Além das peças que vende online ou em feiras, também dá aulas de cerâmica a alunos do ensino primário em cinco escolas de Tomar e workshops duas vezes por mês. Os workshops têm tido uma grande adesão por parte da população que tem adorado a sensação de criar algo através do toque, explica, acrescentando que os próximos se realizam a 6 e 7 de Abril n’a Moagem – Fábrica das Artes. Daisy Eltenton tem também trabalhos pontuais como modelo em Lisboa e no Porto.
Enquanto artista já levou o seu trabalho ao Reino Unido, França, Dinamarca e Holanda. No futuro, Daisy Eltenton gostava de criar uma residência artística para juntar artistas num espaço de partilha de conhecimentos, colaborações e fornecer um espaço para quem tem ideias para concretizar, mas não tem os recursos necessários, lamenta.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1659
    10-04-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1659
    10-04-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo