Cultura | 23-09-2022 20:59

O melhor de Alverca são as diferenças culturais

Mostra deu a conhecer culturas e costumes de diversas nacionalidades

Iniciativa promovida pela União de Freguesias de Alverca e Sobralinho mostrou o melhor que as comunidades de Cabo Verde, Angola, Brasil, Ucrânia, Ásia, Guiné-Bissau e de Portugal têm para oferecer.

A variedade de culturas que habitam na União de Freguesias de Alverca do Ribatejo e Sobralinho são a grande riqueza desse território e mostraram-se à comunidade no último fim-de-semana para combater preconceitos, celebrar a diversidade e criar momentos de convívio e aprendizagem conjunta.
Os Dias da Multiculturalidade, organizados pela junta de freguesia, levaram dezenas de pessoas ao Pavilhão Municipal de Alverca numa celebração de culturas. A iniciativa reuniu sete culturas diferentes das comunidades de Angola, Brasil, Cabo Verde, Ásia, Guiné-Bissau, Ucrânia e Portugal. Os visitantes tiveram a oportunidade de contactar com literatura, contos tradicionais, música, dança, artesanato e degustar iguarias de várias origens.
Em representação de Portugal esteve a Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de Alverca (ARPIA) e Carla Silva, da Revelação Transmontana, que apresentaram os sabores da gastronomia portuguesa e algumas das tradições do país, como a escola de fado e o grupo de cantares. Carlos Sousa, presidente da ARPIA, refere que a cidade precisa de mais eventos semelhantes.
Já Ana Paula Augusto expôs na sua banca várias peças de roupa com as cores e tecidos tradicionais angolanos e peças de artesanato que vieram de Angola. Ana está em Portugal há mais de três décadas e dedica-se a organizar eventos que promovem personalidades afro-descendentes. Disse a O MIRANTE que iniciativas como esta são muito importantes para mostrar o que de melhor há no seu país.   
O Brasil esteve representado por uma loja de produtos brasileiros, Emanuel Semedo, Steve Espírito Santo e Dáda representaram Cabo Verde com as suas peças de artesanato feitas à mão com produtos reciclados e vegetais. Apresentaram cachupa como prato principal que fez sucesso durante a iniciativa, doces de calabaceira e o grogue, uma bebida alcoólica feita com cana de açúcar e semelhante ao bagaço português.
Os países asiáticos foram representados através de momentos dedicados à literatura e a contos tradicionais, bem como pela banca da Associação Rotas da Lusofonia. A comunidade ucraniana de Alverca levou consigo várias peças de artesanato, doces típicos e trajes tradicionais. Todas as verbas angariadas na venda dos produtos reverteram para a compra de roupas térmicas de Inverno, meias, t-shirts com padrão camuflado, luvas e palmilhas isoladoras que serão entregues a soldados que combatem na linha da frente das regiões de Donetsk e Lugansk.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo