Cultura | 30-09-2022 18:00

Edição Semanal. Maratona cultural assinala feriado municipal no Sardoal

Autarcas do Sardoal viveram o feriado municipal em proximidade com a comunidade

Após dois anos de paragem as Festas do Concelho do Sardoal tiveram início no dia em que se comemoraram os 491 anos da elevação à categoria de vila.

22 de Setembro foi dia de festa no Sardoal. As cerimónias oficiais do feriado municipal iniciaram-se pela manhã, com a guarda de honra da Filarmónica União Sardoalense e dos Bombeiros Municipais, seguida da entrega de distinções aos funcionários da autarquia com 25 anos ou mais de serviço e também aos que se aposentaram nos últimos anos.
Pela tarde, as Festas do Concelho foram marcadas pela sessão solene, no edifício dos Paços do Concelho, com a presença de Pedro Machado, presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro. Entre os convidados estavam também Manuel Valamatos, Vasco Estrela e Jorge Faria, presidentes das câmaras de Abrantes, Mação e Entroncamento, respectivamente, bem como Luís Filipe, vogal executivo da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro e José Alho, vice-presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo.
Miguel Borges, presidente da Câmara do Sardoal, focou o discurso nos progressos da sua autarquia, dando especial ênfase à cultura e ao desenvolvimento educativo. Pedro Machado falou de seguida, agradecendo o convite e referindo que o Sardoal se enquadra em cheio na nova tendência turística, a procura de locais mais isolados, longe do mar, como a oferta cultural e patrimonial que a vila tem.
A comitiva encaminhou-se então para a Igreja Matriz, onde Miguel Borges inaugurou o Centro de Interpretação da Semana Santa e do Património Religioso. O autarca exemplificou à entrada como funciona o sistema, lendo o “QR code” no seu telemóvel e depois encostando o mesmo ao microfone da igreja. Todos ouviram com atenção a descrição e contemplaram o templo.
A capela de Nossa Senhora do Carmo, recentemente restaurada pelo município, foi o destino seguinte. É ali o ponto de partida do Centro de Interpretação que dá a conhecer as tradições da Semana Santa na vila. É possível, por exemplo, criar virtualmente um tapete de flores, imagem de marca do Sardoal. Nas capelas e igrejas estão disponíveis os “QR Codes” que, através de áudioguias, permitem ao visitante ficar a conhecê-las em detalhe.
A paragem seguinte foi a Mostra de Saberes e Sabores, onde pontificaram o artesanato e gastronomia local e também a animação musical. O Centro Cultural Gil Vicente acolheu depois a comitiva que inaugurou a exposição “O Inferno em Gil Vicente segundo o imaginário de José Carlos Barros”. Miguel Borges falou da relação do dramaturgo com a vila e das menções à mesma em várias das suas obras. Já o artista plástico enquadrou a sua mostra, que consta de 14 marionetas, “peças escultóricas de elevado recorte e requinte”, que representam personagens do Auto da Barca do Inferno. As peças foram criadas para a produção das “Marionetas de Lisboa”, peça estreada no Teatro Nacional D. Maria II em 1986.
A finalizar, Miguel Borges encaminhou os convidados para o auditório do Centro Cultural, onde apresentou o Arquivo da Memória. O projecto engloba registos fotográficos, documentos antigos, vídeos e entrevistas que têm vindo a ser feitas nos últimos anos com figuras marcantes da sociedade local recorrendo à história contada na primeira pessoa. As Festas do Concelho estenderam-se até domingo.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1588
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1588
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo