Desporto | 12-01-2021 18:00

Os Pestinhas continuam com a casa às costas e sem sede própria

Os Pestinhas continuam com a casa às costas e sem sede própria
DESPORTO

Clube tem uma importante missão social no bairro de Povos, em Vila Franca de Xira, mas continua a não ter os apoios municipais de que dispõem outros clubes do concelho.

A Associação Desportiva Os Pestinhas de Povos, fundada há 15 anos naquele bairro de Vila Franca de Xira, ganhou nova dinâmica há quatro anos e além de promover vários escalões de formação tem este ano pela primeira vez uma equipa sénior a competir no campeonato nacional de futsal na segunda divisão distrital. E os atletas até nem se têm saído mal, tendo liderado o campeonato até ao final do Verão, altura em que um conjunto de azares e arbitragens questionáveis os fizeram escorregar na tabela. Matematicamente, subir de divisão ainda é possível e o treinador acredita. Mas para isso será necessário trabalhar no duro em cada jornada.

Uma situação que se torna ainda mais desafiante já que o clube continua sem uma sede, a treinar no pavilhão municipal de Alverca e a disputar as competições no pavilhão de Castanheira do Ribatejo. Em ambos os cenários tem de pagar para utilizar os espaços. O que vai valendo são os apoios que vão chegando à associação da parte de empresas e negócios locais. Muitas vezes as deslocações saem do bolso dos atletas.

O clube tem um papel importante no bairro de Povos que vai muito além de proporcionar desporto aos jovens do bairro. É também um pólo agregador que tenta ocupar os atletas, mantê-los activamente empenhados numa actividade desportiva e, ao mesmo tempo, afastá-los da marginalidade. “Não conseguimos agarrar todos mas temos tentado evitar que sigam por maus caminhos. Levamos isto a sério com muito trabalho mas infelizmente as entidades não nos têm apoiado como poderiam e deveriam”, lamenta João António, presidente do clube a O MIRANTE.

A sede é na casa do presidente

Os dirigentes dos Pestinhas de Povos não escondem alguma insatisfação por verem outros clubes do concelho serem apoiados e eles não conseguirem sequer ter um espaço onde treinar gratuitamente. “O clube é muito importante na vida do bairro. Somos uma família e parte integrante da vida de todos. Quando são as eleições é tudo muito bonito mas depois na prática não se vê nada”, lamentam os dirigentes.

A câmara municipal e o clube reuniram a 1 de Julho e foi prometida uma nova sede provisória para o clube mas que ainda não passou de uma intenção. “O vereador do desporto prometeu dar-nos a chave até Outubro, mas até agora nada e a sede faz muita falta”, queixam-se a O MIRANTE.

Actualmente Os Pestinhas de Povos têm cerca de 60 atletas nos diferentes escalões. Quando abriu portas, o clube chegou a contar com mais de 80 atletas em várias modalidades, incluindo atletismo. Mas a falta de apoios financeiros levou a que, com o tempo, o desporto passasse a ser apenas para os escalões de formação de futsal. A sede funciona na casa do presidente e ter um espaço próprio é uma das maiores necessidades. Os Pestinhas sonham ocupar o edifício devoluto ao lado do polidesportivo, que em tempos era a sede do anterior clube.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1491
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1491
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo