Desporto | 05-03-2022 18:00

Tomás Santos quer chegar ao campeonato do mundo de motocross

Tomás Santos tem 13 anos e sagrou-se campeão nacional de motocross

O piloto, natural de Tomar, é o actual campeão nacional da modalidade na classe de 85cc e sonha competir no campeonato do mundo. Para isso conta com o apoio da família e do município de Tomar.

Tomás Santos, 13 anos, é campeão nacional de motocross na classe de 85cc e esta época vai participar no campeonato europeu. Vê na família o seu grande pilar de apoio para conquistar o sonho nas duas rodas que é chegar ao patamar mais alto da modalidade, o campeonato do mundo.
Tomás Santos começou a praticar motocross aos seis anos porque a mãe e o padrasto também são adeptos da velocidade e de desportos motorizados. O jovem piloto conta a O MIRANTE que treina três vezes por semana na Asseiceira, freguesia do concelho de Tomar, de onde é natural e vive com a família. Conciliar a actividade desportiva com os estudos não é uma tarefa fácil porque, explica, tem de realizar muitas viagens e a gestão do tempo é muito difícil de fazer. “Felizmente vou conseguindo tirar notas razoáveis, mas confesso que muitas vezes vou para os testes sem estudar por causa da falta de tempo. No futuro vou tentar melhorar este aspecto”, afirma, com um sorriso no rosto.
A primeira fase do Campeonato da Europa implica a realização de quatro provas, em Itália, França, Espanha e Portugal. Tomás Santos necessita de se qualificar entre os 40 primeiros para conseguir carimbar passagem directa para a final, que vai decorrer na República Checa. “O meu objectivo é conseguir chegar à prova cá em Portugal já apurado”, ambiciona. Mas o objectivo final de Tomás Santos é ser convidado para fazer parte de uma das equipas que participam no campeonato mundial de motocross, embora reconheça que primeiro tem de se preocupar com o presente.
Depois da participação no campeonato europeu o piloto vai voltar a competir no campeonato nacional de motocross, desta vez com o brasão do município de Tomar estampado na mota. “Os apoios são muito importantes para a motivação dos atletas porque são sinónimo de reconhecimento pelo esforço e dedicação à modalidade”, vinca, acrescentando, no entanto, que o maior suporte vem da família, que o acompanha em todas as provas e treinos e faz de tudo para o ver feliz e realizado.
A O MIRANTE Celeste Gouveia, mãe de Tomás, assume ter noção dos riscos a que o filho se sujeita, mas garante que nunca o vai impedir de ir em busca dos seus sonhos, independentemente de viver com o “coração nas mãos” quando decorrem as provas. Explica ainda que o motocross ajudou o filho a aprender a socializar e a perder a timidez e falta de auto-estima que tinha quando era mais novo.
Filipa Fernandes, vereadora com o pelouro do Desporto, garantiu que a autarquia vai estar sempre disponível para ajudar Tomás Santos porque “é um orgulho enorme para os tomarenses ver o Tomás sagrar-se campeão nacional e agora ter a possibilidade de chegar a um título europeu”.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1588
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1588
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo