Desporto | 05-07-2024 07:00

O azar do Vitória de Setúbal é a sorte da União de Santarém

O azar do Vitória de Setúbal é a sorte da União de Santarém
Pedro Patrício, presidente da direcção da União de Santarém

União de Santarém aguarda notificação para participar na Liga 3 e já prepara a equipa de futebol para competir nesse escalão.

Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol decidiu não atribuir licença ao Vitória de Setúbal para ir a jogo e o clube ribatejano acaba por ser promovido na secretaria.

No desporto de competição o azar de uns é a sorte de outros e desta vez a taluda calhou à União Desportiva de Santarém (UDS), que consegue a promoção à Liga 3 em futebol na secretaria porque um clube que conquistou esse direito em campo não cumpre os requisitos para participar nessa competição. Regras são regras e a direcção do clube ribatejano anunciou na passada semana que já recebeu a confirmação da decisão final do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) de não atribuir licença ao Vitória FC, de Setúbal, para competir na Liga 3 e no Campeonato de Portugal, o que abriu portas à UDS para ocupar a vaga dos setubalenses na Liga 3. O emblema escalabitano, liderado por Pedro Patrício, foi o que se classificou imediatamente a seguir aos dois clubes que foram promovidos na série sul da fase de subida do Campeonato de Portugal, o Vitória de Setúbal e a Lusitânia dos Açores.
A UDS divulgou que o Conselho de Justiça da FPF manteve a decisão da Comissão de Licenciamento, estando a direcção do clube ribatejano a aguardar a notificação da FPF para participar na Liga 3, para a qual entende cumprir todas as premissas do regulamento disciplinar da FPF. Recorde-se que os sadinos enfrentam um processo de insolvência e vivem uma delicada situação financeira.
“Esperamos contar com um apoio muito forte das entidades municipais, parceiros, sócios e adeptos para sermos muito competitivos. Santarém tem obrigatoriamente que ter equipa nas Ligas profissionais de futebol para os jovens ribatejanos que optem pela carreira de futebolistas não tenham que sair do concelho de Santarém aos 15 e 16 anos para irem jogar futebol profissional para Braga, Porto, Faro, Açores, etc…”, diz o clube, acrescentando que vão ter poucos dias para preparar um plantel sénior para fazer uma equipa bem estruturada, “mas estamos cá para as dificuldades e para a responsabilidades”.
“Há algum tempo que estamos a trabalhar juntamente com a equipa técnica, no planeamento do plantel sénior e da restante estrutura do futebol de formação, a qual estamos a profissionalizar, para dentro de poucas semanas, começar a época 24/25 na Liga 3”, refere-se na mesma mensagem onde se deixa “uma palavra especial para os sócios e adeptos, e afinal também para todos os scalabitanos, que ao longo destas últimas semanas foram insultados, e muitas vezes mesmo vilipendiados, em especial nos canais digitais, palavra essa que é de admiração e, sobretudo, de solidariedade com todos”.

O renascer das cinzas
Há uma década e meia a UDS era um fantasma a pairar sobre a cidade. Campeão nacional da 3ª Divisão em 1974/75 e 1984/85, o clube extinguiu o futebol sénior durante alguns anos e só regressou aos campeonatos nacionais de futebol em 2019 após ter conquistado o campeonato distrital da 1ª divisão da Associação de Futebol de Santarém.
A constituição de uma sociedade anónima desportiva (SAD) controlada pelo empresário, advogado e militante do PSD José Gandarez, que é também vice-presidente suplente do Sport Lisboa e Benfica, foi um passo decisivo para garantir competitividade à equipa de futebol, com a contratação de muitos jogadores de fora. Esse modelo tem funcionado, ao contrário do que aconteceu com experiências semelhantes em Fátima, Rio Maior ou Almeirim, que fracassaram com estrondo.
Praticamente sem património, a UDS joga no Campo Chã das Padeiras, propriedade do município, de onde correu o risco de ser despejada há duas décadas pelo então proprietário do terreno onde se localiza o campo, em mais um momento atribulado da vida do clube. As instalações desportivas têm vindo a ser melhoradas e recentemente a Câmara de Santarém aprovou um protocolo para cedência de imóveis devolutos junto ao campo de futebol para instalação da sede do clube e alojamento de atletas.

Pedro Patrício: o homem do momento

O presidente da União de Santarém e gestor do grupo Luz Saúde, Pedro Patrício, está com o astral em alta e a viver um período de grandes realizações. Depois do arranque das obras do novo Hospital da Luz na sua cidade natal, Santarém, viu a Federação Portuguesa de Futebol negar a licença ao Vitória de Setúbal para participar na Liga 3 de futebol, o que abre as portas da competição à União de Santarém. Pedro Patrício é o homem do momento em Santarém e a União de Santarém e a cidade voltam a viver um momento marcante para a vida desportiva e associativa. A União de Santarém joga num campo de futebol que fica dentro da cidade e vai procurar proporcionar aos adeptos bons momentos de futebol e de vida clubista.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo