Sociedade | 29-04-2023 07:00

Unidade Local de Saúde no Médio Tejo vai garantir maior capacidade de resposta

Unidade Local de Saúde no Médio Tejo vai garantir maior capacidade de resposta
Casimiro Ramos

O presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo é um entusiasta da criação de uma Unidade Local de Saúde no Médio Tejo, que vai agregar os cuidados de saúde primários e os hospitalares. Casimiro Ramos diz que esse modelo vai conferir maior capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde.

A anunciada criação de uma Unidade Local de Saúde (ULS) no Médio Tejo, agregando os cuidados de saúde primários e os hospitalares, vai conferir uma “maior e mais célere capacidade de resposta” à população, considera Casimiro Ramos, presidente do conselho de administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT). “Aquilo que no imediato a população mais irá sentir é uma maior capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS), dos centros de saúde (ACES Médio Tejo) e do Centro Hospitalar Médio Tejo àquilo que são as suas necessidades”, diz o responsável, elogiando as virtudes do novo modelo organizacional, em que se pretende que a “vantagem competitiva seja a qualidade”.

Segundo o gestor hospitalar do CHMT, reconduzido recentemente no cargo, “o rápido acesso aos diversos actos clínicos irá ser a vantagem mais rapidamente visível”, tendo apontado uma “maior facilidade e celeridade” na obtenção de consultas e realização de exames ou ainda na redução substancial das listas de espera para cirurgias.

A nova ULS Médio Tejo vai resultar da fusão do ACES Médio Tejo e do CHMT e deixar a cargo de uma única organização, com órgãos de gestão e administração conjunta, a gestão dos cuidados de saúde primários e os cuidados de saúde hospitalares na região, anunciou a Direção Executiva do SNS.

Em comunicado, a administração do CHMT deu conta que, “nos próximos meses, se perspectiva a realização prévia de um conjunto de trabalhos de preparação, entre o CHMT, o Agrupamento de Centros de Saúde e os municípios do Médio Tejo, com vista à elaboração de todos os normativos e estudos necessários para esta reforma organizacional”.

Para Casimiro Ramos, a constituição de uma ULS no Médio Tejo “representa um enorme desafio para a instituição, para os seus profissionais e para a região, perspectivando-se uma lógica de cuidados de saúde efectivamente integrados e coordenados, centrados no utente, e com naturais ganhos ao nível da eficácia, eficiência e acesso”.

O calendário da criação da ULS Médio Tejo decorre durante as próximas 10 semanas, conforme definido pela Direcção Executiva do SNS, cabendo ao CHMT e ao ACES dar-lhe cumprimento, em articulação e com o contributo de todos os intervenientes e parceiros, referiu ainda o gestor.

Casimiro Ramos reconduzido na administração do CHMT

Casimiro Ramos foi reconduzido na presidência do novo conselho de administração do CHMT, que integra as unidades de Abrantes, Tomar e Torres Novas, tendo sido nomeado por um período de três anos, com efeitos a 21 de Abril, anunciou o Governo. O conselho de administração do CHMT é presidido por Casimiro Ramos, sendo director clínico o médico Carlos Luís Lousada. Maria da Piedade Pinto é a enfermeira directora. Carla Oliveira e Carlos Gil são vogais executivos, ficando a primeira com o pelouro financeiro.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo