Sociedade | 17-12-2023 10:00

Presidente da junta defende aeroporto mas sem descaracterizar Samora Correia

Presidente da junta defende aeroporto mas sem descaracterizar Samora Correia
Augusto Marques vê com bons olhos a possibilidade de o novo aeroporto ser construído na freguesia a que preside

Presidente da Junta de Samora Correia reconhece as mais valias de um novo aeroporto no Campo de Tiro da Força Aérea, localizado nessa freguesia, mas alerta para o perigo da especulação imobiliária. “Vamos ter de crescer sem descaracterizar o nosso modo de viver”, diz Augusto Marques.

A população vai ter de estar atenta e exigir dos governantes um processo de desenvolvimento controlado no âmbito da eventual construção do novo aeroporto no Campo de Tiro da Força Aérea, na freguesia de Samora Correia, concelho de Benavente. O alerta é do presidente da Junta de Freguesia de Samora Correia, Augusto Marques (CDU), para quem a discussão em torno do novo aeroporto deve ser pensada a nível nacional.
O autarca vê com bons olhos a possibilidade da infraestrutura se localizar na freguesia a que preside mas aponta riscos como a descaracterização. “Até aqui o processo de crescimento foi sempre de baixa densidade, com moradias unifamiliares e prédios baixos. Não podemos deixar a especulação imobiliária tomar conta do território. Vamos ter de crescer sem descaracterizar o nosso modo de viver”, reiterou.
O Campo de Tiro da Força Aérea, onde poderá vir a ser construído o novo aeroporto, não fica no concelho de Alcochete. Desde 2009 que a antiga designação que mencionava Alcochete foi alterada. A ser construído, a maior parte do aeroporto vai ficar em Benavente e uma pequena parte nos concelhos do Montijo e Palmela.
A freguesia de Samora Correia tem 20 mil habitantes. O concelho de Benavente, no total, tem 30 mil habitantes. Quando foi feito o estudo para o aeroporto em 2008 já se previa a duplicação do crescimento demográfico. Para o autarca, um aeroporto criará mais postos de trabalho e oportunidades para as pessoas. Mas sem dúvida que terá impactos ambientais. “Não vamos deixar de ter o montado de sobro que nos caracteriza e que vai até ao campo de tiro”, disse.
Augusto Marques salienta que a freguesia de Samora Correia tem mais habitantes que muitos concelhos do distrito de Santarém e que por isso tem de merecer mais atenção da administração central. A freguesia não tem uma repartição de Finanças e para a Segurança Social nunca foi uma prioridade por não ser a sede de concelho. Por isso todas essas questões terão que ser tidas em conta se for construído um novo aeroporto.

Crescimento planeado
A presidente da Junta de Freguesia de Benavente, Inês Correia (CDU), espera que o novo aeroporto se concretize. Para o concelho será um factor de desenvolvimento económico e criará mais postos de trabalho. Mais habitação, equipamentos e escolas têm de ser acautelados em função dos novos residentes. “Somos o concelho do distrito que mais tem crescido. Benavente foi a freguesia que mais cresceu e por isso tem de haver um planeamento por parte da autarquia”, afirma.
O presidente da Câmara de Benavente, Carlos Coutinho (CDU), está preparado desde 2008 para receber o futuro aeroporto de Lisboa e por isso recebeu com satisfação a notícia da comissão técnica independente (CTI). O autarca assegurou que o município está preparado para receber a infraestrutura. “Deveremos ter nesta altura cerca de 600 hectares disponíveis para realização de actividades económicas e o município, mesmo sem o aeroporto, tem uma dinâmica de crescimento muito significativa. Na última década crescemos mais de 70% no volume de negócios e crescemos mais de 300% nas exportações”, revela. “Existem condições para a construção do novo aeroporto sem que a condição humana possa ser afectada”, reforça.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo