Política | 29-12-2023 13:24

Criação de Unidade Local de Saúde da Lezíria com críticas em Santarém

Criação de Unidade Local de Saúde da Lezíria com críticas em Santarém
Ricardo Gonçalves deixou fortes críticas na assembleia municipal sobre o estado da saúde no concelho e no país

Presidente da Câmara de Santarém lamentou, na assembleia municipal, que os autarcas não tenham sido envolvidos no processo que levou à criação de um novo modelo de gestão que vai integrar o hospital distrital e os centros de saúde da Lezíria do Tejo.

O presidente da Câmara de Santarém voltou a lançar fortes críticas ao estado do Serviço Nacional de Saúde e desta vez também ao processo de criação das Unidades Locais de Saúde (ULS), que Ricardo Gonçalves (PSD) diz ter sido desenvolvido na Lezíria do Tejo sem o envolvimento dos municípios que, recentemente, passaram a ter competências acrescidas na área da saúde. “Lamento que a onze dias da entrada em funcionamento da ULS, o município de Santarém saiba zero sobre o seu funcionamento, tal como acontece com os outros municípios da Lezíria”, criticou o autarca na sessão da assembleia municipal realizada a 20 de Dezembro.

O novo modelo das ULS entra em vigor a 1 de Janeiro de 2024 e coloca sob a mesma gestão o hospital de referência e os centros de saúde de cada território. No caso da Lezíria do Tejo, o Hospital Distrital de Santarém e o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Lezíria passam a ter administração conjunta e Ricardo Gonçalves lamentou que a poucos dias da nova realidade não houvesse informação partilhada com os municípios por parte do Ministério da Saúde e organismos por si tutelados.

“Ninguém sabe o que está a fazer”

“Quando digo que a saúde está catastrófica em Portugal é por isto mesmo; ninguém sabe o que está a fazer. As nossas populações passam dificuldades e nós não nos podemos nem iremos calar. A nossa voz não deixará de apontar aquilo que está mal. A normalização disto é uma vergonha e eu não aceito a normalização da falta de cuidados de saúde no nosso país e no nosso concelho”, afirmou Ricardo Gonçalves na assembleia municipal, onde voltou a lamentar o encerramento de serviços no Hospital Distrital de Santarém e os transtornos causados aos utentes e familiares.

Contactado por O MIRANTE posteriormente, Ricardo Gonçalves informou que no dia seguinte à assembleia municipal o município recebeu o estudo da ULS que vai actuar na Lezíria do Tejo, mas mais uma vez lamentou que tudo tenha sido feito “nas costas dos autarcas”.

O decreto-lei que cria 32 novas Unidades Locais de Saúde, incluindo a ULS da Lezíria, foi publicado a 7 de Novembro de 2023. Segundo o diploma, que produz efeitos a partir de 1 de Janeiro de 2024, “a integração dos ACES, hospitais e centros hospitalares já existentes no modelo das ULS constitui uma qualificação da resposta do SNS, simplificando os processos, incrementando a articulação entre equipas de profissionais de saúde, com o foco na experiência e nos percursos entre os diferentes níveis de cuidados, aumentando a autonomia gestionária, melhorando a participação dos cidadãos, das comunidades, dos profissionais e das autarquias na definição, acompanhamento e avaliação das políticas de saúde, maximizando o acesso e a eficiência do SNS”.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo