Economia | 23-10-2020

Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China

1 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
2 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
3 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
4 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
5 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
6 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
7 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
8 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
9 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
10 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
11 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
12 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
13 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
14 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
15 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
16 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
17 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
18 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
19 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
20 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
21 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
22 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
23 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
24 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
25 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
26 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
27 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
28 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
29 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China
30 / 30
Valgrupo investe para incrementar exportações de carne de suíno para a China

Ampliação das instalações em Alcanede visitadas pelo secretário de Estado da Agricultura.

A estratégia de crescimento da Valgrupo, de Alcanede, que é já um dos mais importantes do país, inclui, para além dos investimentos em curso, a construção de um novo matadouro e de uma nova fábrica de rações, e o reforço da sua posição noutras áreas de negócios.

O secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Nuno Russo visitou a Valgrupo, na segunda-feira, 19 de Outubro, para ficar a conhecer os investimentos que estão a ser feitos naquele que é um das mais importantes grupos económicos do país.

A Valgrupo, com sede em Alcanede, concelho de Santarém é composta por diversas empresas, relacionadas com a criação, abate, transformação e comercialização de carne de suínos, empregando cerca mil pessoas. Tem também presença noutros sectores de actividade.

Assente numa estratégia de crescimento liderada por Fernando Vicente, esposa, Anabela Vicente e os dois filhos, Davide e André, a Valgrupo encontra-se numa fase de remodelação e ampliação das instalações, tendo o conjunto de investimentos em curso sido explicado pelos gestores, ao secretário de Estado.

A Valsabor, em Alcanede, constituída em 1989 e dedicada ao abate e transformação de carne de porco, encontra-se neste momento em fase de remodelação e ampliação das instalações de abate e transformação, orçadas em cerca seis milhões de euros, a finalizar em 2021.

O objectivo do investimento é aumentar a capacidade de frio, a capacidade de expedição e de logística, assim como melhorar os escritórios, a cantina dos trabalhadores e as salas destinadas à formação.

Também a concluir em 2021 há um investimento de três milhões de euros, nas empresas de produção animal, no aumento da sua capacidade produtiva e na modernização e monitorização contínua de todo o ciclo produtivo.

Com a aquisição da Maporal, o matadouro de Reguengos de Monsaraz, tornou-se o primeiro matadouro português a exportar carne de porco para a China, em Fevereiro de 2019. Neste momento decorrem as obras de ampliação para lhe permitir ter uma capacidade de abate de 15 mil suínos por semana, destinados à exportação. Este investimento está a decorrer e representa uma aposta de 15 milhões de euros, tem arranque previsto para Abril de 2021.

Nos planos de investimento do grupo estão ainda dois projectos com início de concretização programado para 2022, que são a construção de um novo matadouro e de uma nova fábrica de rações.

A construção do novo matadouro para a Valsabor está orçada em 25 milhões de euros e será, segundo os promotores, o maior e mais moderno matadouro português, permitindo uma capacidade de exportação de 150 milhões de euros por ano.

“Com este investimento, pretendemos manter o foco daquilo que temos vindo a fazer, valorizar carne de porco nacional, e incrementar as exportações deste produto, que já de si são fatia importante da nossa actividade, através do acordo de exportação de carne de suíno para a China”, explicaram os responsáveis do grupo.

“Investir na responsabilidade ambiental e ser uma maisvalia económica e social”

Nuno Russo foi recebido ao início da manhã, em Alcanede, na sede da Valgrupo tendo visitado as obras de ampliação e modernização das instalações de abate e transformação de carne. De seguida deslocou-se a Alpiarça à Quinta da Atela, adquirida pelo Grupo em 2017, onde decorreu um almoço volante.

Na Quinta da Atela o grupo alargou a sua actividade ao sector vitivinícola, reestruturando desde então cerca de 120 hectares vinha que se encontravam em baixa produção, tendo com isto, além de aumentado a produção de vinhos de qualidade na região, contribuído também para a conservação e melhoramento da paisagem agrícola.

Além da vinha, a Quinta da Atela, tem uma importante área de montado de sobreiros e criação de gado bovino, sendo a área total da Quinta da Atela aproximadamente 700 hectares. Para além daquelas valências, encontram-se em processo de adaptação à vertente do enoturismo as suas áreas edificadas.

Os responsáveis pelo grupo, sintetizaram a sua estratégia da seguinte forma: “Nas empresas da Valgrupo, seja na Valsabor ou na Quinta da Atela, queremos continuar a trabalhar como sempre, dedicados e a superar a cada dia as dificuldades. Queremos criar as melhores condições de trabalho para os nossos colaboradores, investir na responsabilidade ambiental e representar uma maisvalia económica e social para a região e para o país, na criação de emprego, na criação de riqueza e na esperança de um futuro melhor para todos…”

O secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural elogiou a Valgrupo e os seus responsáveis e deixou palavras de incentivo.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1483
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1483
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo