Economia | 04-01-2023 07:00

Leroy Merlin muda-se para Castanheira do Ribatejo e cria 400 empregos

Leroy Merlin muda-se para Castanheira do Ribatejo e cria 400 empregos
Plataforma logística da Castanheira ganhou nova dinâmica em 2021 e já tem várias empresas a funcionar e outras a caminho

Depois do grupo Jerónimo Martins é a vez da Leroy Merlin anunciar a instalação da sua base logística nacional em Castanheira do Ribatejo.

Município de Vila Franca de Xira diz-se feliz com a decisão e defende que o concelho continua a atrair investimento e a ser um bom local para criar emprego e fazer negócios.

A Leroy Merlin, multinacional francesa de lojas de bricolage, materiais para construção e decoração, vai mudar a sua base logística nacional para a Castanheira do Ribatejo naquele que é considerado o maior investimento em logística da década no país, prometendo criar até 400 postos de trabalho. Junta-se assim às naves logísticas já existentes da Merlin Properties e à Jerónimo Martins que ali está a criar também o seu centro logístico num investimento de 80 milhões de euros.
O anúncio da chegada da Leroy Merlin foi feito na semana anterior ao Natal pela espanhola Montepino Logística, um dos maiores proprietários de bens imóveis logísticos em Espanha que é gerida pelo fundo imobiliário Valfondo. Os terrenos na plataforma logística da Castanheira para instalar a base logística da Leroy Merlin foram comprados ao Novo Banco pela Valfondo, em parceria com o Bankinter, pelo valor de 150 milhões de euros. Tem uma área de quase meio milhão de metros quadrados e um único pavilhão com 105 mil metros quadrados.
As obras de construção do pavilhão arrancam em Janeiro e a previsão é que o espaço possa estar pronto para ser inaugurado em Novembro de 2024. As obras vão dar trabalho a outras 250 pessoas de 40 empresas nacionais e locais envolvidas no projecto. O município já veio congratular-se com a novidade dizendo-se feliz com a decisão da empresa de se instalar no concelho e considerando que Vila Franca de Xira continua a ser atractivo para gerar emprego, qualidade de vida e bons negócios.

Um novo fôlego
A plataforma logística de Castanheira do Ribatejo, recorde-se, ressuscitou a 18 de Maio de 2021, data em que foi inaugurada pela segunda vez quando já ninguém contava com os milhares de empregos prometidos em 2006 pelo então primeiro-ministro José Sócrates, quando o espaço foi apresentado no âmbito do projecto “Portugal Logístico”.
Foi Maria da Luz Rosinha, à data presidente da Câmara de Vila Franca de Xira, que conseguiu trazer o projecto para a Castanheira mas com um custo: teve de ser permitida a construção em terrenos que eram reserva agrícola e ecológica e onde os solos eram inundáveis pelas águas do Tejo. Só a classificação do Governo de Projecto de Interesse Nacional (PIN) permitiu desafectar os 100 hectares de terrenos necessários à implementação do projecto.
Tiveram de ser colocados em toda a área muitos milhões de toneladas de terra vinda de outros locais para permitir a construção naqueles solos. Os promotores do projecto à data, a também espanhola Abertis, comprometeram-se a dar contrapartidas à comunidade pela construção da plataforma e a câmara pagou do seu bolso os milhões necessários para construir os acessos e viadutos à Auto-Estrada do Norte (A1). A crise económica de 2008 viria a deixar o espaço em coma até 2021, altura em que as novas naves logísticas começaram a ser construídas e vendidas.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo