Economia | 07-02-2023 20:16

Novo aeroporto: quantas mais hipóteses maior a morosidade do processo

aeroporto

Confederação do Turismo de Portugal teme que a decisão sobre a localização do novo aeroporto deslize no tempo dada a inclusão de mais opções no leque em avaliação ambiental pela Comissão Técnica Independente .

A Confederação do Turismo de Portugal (CTP) defendeu que quanto mais hipóteses forem apontadas para a construção do novo aeroporto de Lisboa mais difícil será o trabalho da comissão técnica e mais longa será a decisão. “Começámos com cinco hipóteses e já juntámos mais duas. Quanto mais pusermos, mais vai complicar a decisão, mais vai ser difícil porque todas as hipóteses vão ter que ser estudadas […]. Tememos que, quanto mais hipóteses venham a surgir, mais difícil seja o trabalho da comissão técnica independente e mais morosidade possamos envolver neste processo”, afirmou o presidente da CTP, Francisco Calheiros.

Beja e Alverca entraram na lista de possíveis localizações para o novo aeroporto de Lisboa, depois de propostas à Comissão Técnica Independente (CTI) responsável pela avaliação ambiental estratégica, que as vai analisar, avançou à Lusa, em 28 de Janeiro, uma das coordenadoras da CTI, a professora Rosário Macário, que integra a CTI.

O responsável da Confederação do Turismo de Portugal, que falava no dia 7 de Fevereiro aos jornalistas, em Lisboa, à margem da inauguração de um contador digital com o valor perdido pela não decisão de um novo aeroporto, vincou que a CTP há muito tempo pede uma decisão, independentemente de qual seja, uma vez que o país não pode estar “50 anos para decidir um novo aeroporto”, o que considerou ser uma vergonha.

Francisco Calheiros disse esperar que não surjam muitas mais alternativas, apontando Março como o mês em que será possível ter uma primeira decisão. “Esperemos que não haja muitas mais alternativas, se não, daqui a bocado, passamos de cinco para sete, de sete para 20 e não sei onde é que vamos parar […]. Temos a certeza de que, até ao final do ano, vamos ter uma decisão”, concluiu.

A CTI, da qual faz parte a Confederação do Turismo, tem como coordenadora-geral a professora Rosário Partidário e conta com uma equipa de seis coordenadores técnicos, entre os quais se encontra a professora universitária Rosário Macário, especialista em Planeamento e Operação de Sistemas de Transportes, que ficou responsável pela coordenação da área de planificação aeroportuária.

Criada no final do ano passado, a CTI, instalada no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), em Lisboa, está neste momento a ouvir “todas as entidades com relevância para o assunto”, para chegar a um conjunto de critérios que “servirão para analisar as várias hipóteses”, explicou Rosário Macário. Os relatórios com as conclusões da CTI têm de estar fechados até Novembro, passando-se depois para a fase de discussões públicas.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1664
    15-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1664
    15-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo