Economia | 20-05-2023 07:00

Abrantes aprova contas com resultado negativo de 648 mil euros

Presidente da Câmara de Abrantes justifica resultado com a subida da taxa de inflação e com a opção de não aumentar a factura da água.

O aumento da taxa de inflação, a subida dos preços da energia e dos combustíveis e a decisão política de não aumentar o tarifário da água e os resultados da Tagusvalley foram apontados pelo presidente da Câmara de Abrantes, Manuel Valamatos, como os principais motivos para o resultado líquido negativo de 648 mil euros no exercício de 2022. Os documentos de prestação de contas da Câmara de Abrantes e dos Serviços Municipalizados de Abrantes (SMA) foram aprovados por maioria na última sessão da assembleia municipal.
No plano da receita efectiva a autarquia arrecadou cerca de 30,7 milhões de euros, incluindo a incorporação do saldo de gerência e teve taxas de execução da receita corrente e da receita de capital na ordem os 103% e 131%, respectivamente, e um decréscimo da receita de capital de menos 4%. No que respeita às despesas registou-se um crescimento da despesa total de 8%, destacando-se as despesas com pessoal (mais 4%), da aquisição de bens e serviços (mais 31%), transferências correntes (mais 1%) e transferências de capital (mais 195%, valor que teve a ver com apoios no âmbito do programa PARES às instituições particulares de solidariedade social). No Plano de Actividades a câmara municipal regista uma taxa de execução de 51%, no Plano Plurianual de Investimentos de 75% e extra - GOP de 85%. Relativamente aos SMA, os documentos da prestação de contas revelam um resultado líquido negativo de 767 mil euros. O presidente do município destacou neste ponto que o volume de água facturado no ano passado foi de mais 2,8%, o que demonstra ser um “um bom sinal do crescimento da comunidade” uma vez que passaram a existir mais 97 contadores do que em 2021. Em declaração de voto, o presidente da Junta de Abrantes e Alferrarede, Bruno Tomás (PS), disse ter orgulho nas contas apresentadas pelo município, realçando que o que “dá o resultado negativo é o SMA” e apenas porque a autarquia decidiu não aumentar a factura da água para não sobrecarregar os orçamentos familiares. Uma decisão que Manuel Valamatos diz ter sido a melhor que podia ter sido tomada “para proteger as pessoas”.
Centrando a sua intervenção num “carácter político-económico”, o eleito do PSD, José Moreno, criticou a gestão socialista dizendo que “Abrantes está longe de se tornar um concelho atractivo para viver”.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo