Economia | 06-06-2023 15:00

Concelho de Ourém é bom para investir

Concelho de Ourém é bom para investir
Maria Alice Marto com o Presidente da República. Foto CM Ourém

Associação Empresarial Ourém-Fátima (ACISO) promoveu mais um encontro de empresários para assinalar os 80 anos de actividade. À margem da iniciativa O MIRANTE falou com alguns empresários que ajudam à economia do concelho há várias décadas.

O 19º Encontro de Empresários da ACISO – Associação Empresarial Ourém-Fátima assinalou o seu 80º aniversário e homenageou os que estão há meio século com a associação. Na chegada ao encontro, que se realizou na Quinta do Casalinho Farto, em Fátima, O MIRANTE falou com quatro empresários sobre alguns assuntos que estão na ordem do dia.
Carlos Batista, administrador da Tecnórem, está no mercado desde 1989 e faz obras de grande e média dimensão em várias áreas. Para o engenheiro, o tecido empresarial do concelho de Ourém é diversificado e há espaço para empresas de todos os sectores. Natural de Ourém, considera que as acessibilidades rodoviárias são uma mais-valia para o concelho e uma das principais razões para a fixação de empresas. No entanto, realça que há falta de quadros técnicos operacionais e trabalhadores diferenciados. Carlos Batista diz que a localização do novo aeroporto em Santarém é a solução que mais beneficiada Ourém e o país. “Os novos aeroportos construídos na Europa e no resto do mundo estão a cerca de 70 quilómetros ou mais das capitais”, salienta. Sobre Fátima poder ser concelho, o empresário diz que só encontra desvantagens. “Quanto mais dividirmos, mais custos teremos e mais dificuldades haverá na gestão”, vinca, afirmando que a criação da nova NUT II vai permitir captar mais investimentos para a região.

Empresários de longa data
Martinho Matias dos Reis, 80 anos, começou a vender sapatos nas feiras e mercados de Ourém. Na década de 70 conseguiu abrir a própria sapataria, em Fátima, e hoje partilha o negócio com o filho, Adolfo Rafael. De um lado vende sapatos e do outro lembranças. O proprietário afirma que uma das coisas boas no concelho é a ACISO e gostava que o novo aeroporto fosse em Santarém devido à centralidade e proximidade a Fátima. Gina Vicente, 63 anos, é assistente social no Santuário de Fátima e conta que os pais, vieram do Norte e decidiram construir um alojamento local em Fátima, em 1997, a Hospedaria São Jorge, com 16 quartos. O pai já era revendedor de artigos religiosos em Fátima, onde passava maior parte do tempo. Defende que Fátima é um pólo de actividades económicas muito grande e que a ida do novo aeroporto para Santarém pode contribuir para fazer crescer ainda mais a economia do concelho. Júlio Gonçalves da Silva tem o seu negócio de venda e reparação de equipamentos para a agricultura em Carregal, no concelho de Ourém, desde 1970. Por essa altura, Ourém era, segundo o gerente, um “ponto-chave” com duas grandes empresas importadoras de equipamentos. Depois de mais de 50 anos, Júlio Gonçalves acredita que Ourém continua a ser um bom sítio para investir, principalmente devido aos bons acessos.

Empresário na área agrícola, Júlio da Silva, fez-se acompanhar pela esposa
Proprietária da Hospedaria São Jorge, Maria da Conceição, com a filha Gina Vicente
Administrador da Tecnorém, Carlos Batista
Empresário Martinho dos Reis (ao centro) com a família

ACISO assinalou 80 anos com Encontro de Empresários

Novo aeroporto, plano nacional ferroviário e Jornadas Mundiais da Juventude foram os assuntos que marcaram mais uma edição do Encontro de Empresários da ACISO.

A Quinta do Casalinho Farto acolheu a 19ª edição do Encontro de Empresários num ano em que a ACISO celebra 80 anos de actvidade. A iniciativa, que decorreu na quinta-feira, 25 de Maio, teve como convidado especial Luís Marques Mendes que realizou uma palestra sobre “Os Desafios do Futuro, na Europa e em Portugal”.
Purificação Reis, presidente da ACISO, destacou as razões que fazem da associação empresarial uma referência no país. Lembrou que o concelho vai voltar a receber o Papa Francisco, no âmbito das Jornadas Mundiais da Juventude, “momento de grande relevância onde todos devemos contribuir para um espaço urbano mais atractivo, ordenado e cuidado”. A presidente referiu ainda que este será um ano crucial para algumas decisões nacionais como o novo aeroporto e o plano nacional ferroviário, projectos que “devem responder aos interesses e necessidades da região Centro”. No final informou que a ACISO está a trabalhar na implementação de uma aceleradora de comércio digital que vai envolver 700 estabelecimentos comerciais da região do Médio Tejo e anunciou as datas do próximo Workshop Internacional de Turismo Religioso (22 e 23 de Fevereiro de 2024), além da realização do Congresso Internacional de Turismo Religioso e Sustentável.
Luís Albuquerque, presidente da autarquia, enalteceu o papel da ACISO após “oito décadas a impulsionar a economia local, com um contributo verdadeiramente decisivo para o desenvolvimento do tecido empresarial do concelho”. Reforçou o contributo decisivo dos empresários oureenses e garantiu que o município de Ourém vai continuar a apoiar as empresas, “seja através da melhoria da rede viária ou de projectos mais ambiciosos como a Área de Acolhimento Empresarial de Freixianda.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1669
    19-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1669
    19-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo