Economia | 10-01-2024 12:00

Protocolo para construir 368 novas habitações acessíveis na Lezíria do Tejo

Projecto representa um investimento de 42,8 milhões de euros e é resultado de uma colaboração entre o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana e os municípios da Lezíria do Tejo.

A Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT) e o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) assinaram, no dia 22 de Dezembro, um protocolo de cooperação para a construção de 368 novos imóveis de arrendamento acessível na região. A ministra da Habitação, Marina Gonçalves, esteve presente na celebração do protocolo e destacou a importância deste programa para a classe média, especialmente “para os jovens e famílias de classe média que têm enfrentado dificuldades para encontrar habitação”.
Este protocolo, que representa um investimento de 42,8 milhões de euros, é resultado de uma colaboração entre o IHRU e os municípios locais. Juntos, irão identificar os imóveis que necessitam de intervenção e gerir o património em conjunto. O objectivo, segundo Marina Gonçalves, é aproveitar “o melhor e mais eficiente de cada município” para fornecer uma resposta “rápida, de qualidade e sustentável” à necessidade habitacional.
Marina Gonçalves enfatizou também o esforço e dedicação dos municípios na identificação de terrenos e imóveis adequados, bem como na identificação das famílias que irão beneficiar deste projecto. “Este protocolo parece uma simples papel, mas tem muito trabalho envolvido, sobretudo pelos municípios, na identificação de terrenos, na identificação de imóveis e na identificação das famílias”, referiu.
As obras nos imóveis estão incluídas no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), e o tempo de execução das obras irá variar de acordo com a complexidade das intervenções. No entanto, Marina Gonçalves sublinhou a necessidade de identificar as situações mais urgentes para que estas possam ser enquadradas no PRR.
O presidente da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo, Pedro Ribeiro, defendeu a necessidade de inverter a crise habitacional e a importância de criar uma resposta que possa alcançar o maior número de pessoas. “É preciso contrariar esta tendência intervindo directamente no mercado, que há muito deixou de se autorregular. Tudo aquilo que possamos fazer para em conjunto poder dar resposta à necessidade habitacional é para nós fundamental”, disse.
Embora nem todos os municípios estejam actualmente incluídos neste programa, Pedro Ribeiro acredita que este acordo acabará por se estender a todos os concelhos da Lezíria do Tejo. Além da ministra da Habitação e do presidente da CIM da Lezíria do Tejo, estiveram ainda presentes a secretária de Estado da Habitação, Fernanda Rodrigues, e a vice-presidente do Conselho Diretivo do IHRU, Filipa Serpa. A cerimónia de assinatura ocorreu na sede da CIMLT, em Santarém.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo