Especiais | 30-04-2023 07:00

Agostinhos Santarém aposta nas energias renováveis sem descurar o gás

Agostinhos Santarém aposta nas energias renováveis sem descurar o gás
Agostinhos Santarém tem intensificado a sua actividade em projectos relacionados com a transição energética que envolvem a instalação de fontes de energia renováveis. fotoDR

Empresa criou um plano de estágios curriculares e profissionais para tentar atenuar a crescente falta de mão-de-obra qualificada.

A Sociedade Distribuidora de Gás Agostinhos Santarém, gerida por António Quintela, é uma empresa pertencente ao grupo Marques Agostinho (José Marques Agostinho), um conjunto de empresas familiares com mais de 100 anos de história.
A empresa, ligada ao ramo da energia, desenvolve actividade relacionada com a construção de redes e instalações de gás, e instala sistemas solares térmicos e fotovoltaicos. Trabalha para clientes empresariais e particulares, em todo o país, com maior predominância na zona centro.
A Agostinhos Santarém tem intensificado a sua actividade em projectos relacionados com a transição energética, em particular, aqueles que envolvem instalações produtoras de energia recorrendo a fontes renováveis e também em projectos que visam a eficiência energética.
No entanto, a empresa não abandona o gás, por considerar que esta fonte de energia é e irá continuar a ser essencial para a economia e para garantir o bem-estar das populações. Nesse sentido, vê com apreensão algumas iniciativas legislativas, como a que permite que nas novas habitações não seja obrigatório o licenciamento de instalações de gás.
Esta decisão, na opinião do responsável da empresa, vai limitar as escolhas energéticas dos consumidores e, a prazo, gerar problemas sérios ao nível do aumento da produção e distribuição de energia eléctrica.
“Não exigir a instalação de gás nas novas habitações não vai significar nada em termos de poupança, pois o custo da instalação é muitíssimo reduzido em relação ao custo total da habitação. Apenas vai limitar as escolhas sobre as opções energéticas. Se mais tarde o cliente quiser optar por efectuar uma instalação de gás vai gastar muito mais e, provavelmente, a mesma vai ser efectuada em piores condições do que se tivesse sido efectuada de origem. São decisões destas, com pouco critério técnico, que prejudicam a nossa economia, servem mal os cidadãos e geram desemprego”, refere António Quintela.
Consciente da grande preocupação com os elevados custos energéticos das habitações, a empresa considera que pode contribuir para minimizar o problema, através da instalação de equipamentos eficientes como as bombas de calor, ou geradores de energia de fontes renováveis, como painéis solares térmicos e fotovoltaicos.
Num cenário de dificuldades na contratação de mão-de-obra qualificada e para prevenir o efeito negativo que isso possa causar na resposta aos clientes, a Agostinhos Santarém montou um plano de estágios curriculares e profissionais, dirigido às áreas de actividade mais sensíveis dentro da empresa.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo