Especiais | 13-06-2024 21:00

Uma equipa unida que trabalha nos bastidores das festas de Alhandra

Uma equipa unida que trabalha nos bastidores das festas de Alhandra
ESPECIAL ALHANDRA
Alberto Matos, Serafim da Silva, Teresa Nobre, Paulo Silva, Diogo Silva, Carlos Araújo, Sebastião Candelhas, Paulo Gonçalves, Abel Marques, António Dias e António Louro são alguns dos rostos que vão ajudar na realização das festas de Alhandra

Equipa da junta de freguesia vai estar nas ruas durante os seis dias de festa em Alhandra a ajudar em tudo o que seja necessário e na limpeza do espaço. Para a maioria nem é trabalho: é um orgulho ajudar.

Trabalhar nos bastidores das festas populares de Alhandra é, para muitos, um orgulho. Enquanto a maioria dos moradores se diverte e convive nas festividades, há uma equipa unida que, depois de toda a gente ir para casa, se dedica a limpar e a manter a vila do concelho de Vila Franca de Xira limpa e bonita com tudo em condições para receber bem quem a visita.
O MIRANTE foi conhecer uma parte da equipa da União de Freguesias de Alhandra, São João dos Montes e Calhandriz que este ano vai andar pelas ruas a ajudar em tudo o que seja preciso fazer na festa. Isto além das montagens, que incluem mais de mil metros de cabo, 300 metros de malha de sombra para as tasquinhas, instalação de dois quadros eléctricos e montagens de mastros e bandeiras. “Ajudar na festa é um orgulho e o mais importante é que ninguém se aleije e a festa corra bem para todos”, conta António Dias, encarregado-geral da junta. Vive no Sobralinho e trabalha na junta de Alhandra há 10 anos. O que mais gosta na festa é dos caracóis e do convívio.
“Uma parte importante do trabalho é darmos assistência nos dias da festa, despejando os caixotes, fazendo a limpeza do recinto e ajudar no resto, se alguém precisar de equipamento ou desenrascar uma situação pontual. É deste trabalho de SOS e de bastidores de que raramente se fala”, confirma António Dias. Todos os dias, logo que a festa termina, a equipa da junta está no terreno a preparar tudo para o dia seguinte. “No meio disto tudo há pouco tempo para dormir e desfrutar da festa mas sabemos que é a nossa missão”, conta.
O primeiro dia, confessa, é sempre o mais complicado. Depois a festa entra em velocidade de cruzeiro. Acredita que o evento é também importante em termos económicos para Alhandra, ainda para mais porque este ano não colide com a vizinha festa de Alverca.
Para outro trabalhador da junta, Abel Marques, que é natural de Coimbra mas vive em Alhandra há 24 anos, a festa é uma tradição a que não falta e costuma estar nos assadores a ajudar as tasquinhas. “Agora na junta ajudamos de outra forma e sempre que é preciso”, conta. A colega Teresa Nobre confirma e diz que a festa também é importante para espairecer a cabeça que a vida não é só trabalho, embora não goste muito da confusão. “Para mim é muito importante este trabalho que fazemos, que ninguém vê mas ajuda a ter Alhandra limpinha e bonita para mostrar. Tenho orgulho na terra e na camisola que visto”, garante.
Já o colega, Serafim da Silva, natural de Valença do Douro, concelho de Tabuaço, diz ter “aterrado” em Alverca quando tinha 12 anos e nunca mais saiu. Gosta de tudo na festa e o que a torna mais especial é ser um momento de convívio e de reencontro com família e amigos. “É o momento principal do ano e um orgulho vestir a camisola e saber que andamos a ajudar a manter tudo limpo enquanto os outros se divertem. Importante é deitar com a consciência tranquila de que fizemos tudo bem feito e o melhor que conseguimos”, refere. As festas de Alhandra decorrem entre os dias 14 e 16 e 21 a 23 de Junho, com programa para conferir num outro texto publicado nesta edição.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo