Especiais | 14-06-2024 16:00

A horta e a corrida como actividade terapêutica para combater o stress

A horta e a corrida como actividade terapêutica para combater o stress
GUIA AUTARCAS E AUTARQUIAS
Sérgio Oliveira tem sido um presidente de Câmara de Constância que raramente sai do seu registo. Na foto, a participar numa prova em Constância, com o antigo atleta olímpico Domingos Castro.. fotoDR

Presidente da Câmara Municipal de Constância – Sérgio Oliveira (PS)

Um jovem jurista, ilustre desconhecido no panorama político distrital, estilhaçou em 2017 a hegemonia CDU que se prolongava há mais de 30 anos na Câmara Municipal de Constância. E, em 2021, aos 35 anos, ampliou a vantagem, passando o Partido Socialista a contar com quatro dos cinco eleitos no executivo municipal. Visto como uma pessoa discreta e afável, Sérgio Oliveira tem feito um percurso político sem grandes ondas, apesar de algumas polémicas e problemas, como os das descargas de esgotos domésticos e industriais sem tratamento no rio Tejo, da falta de saneamento básico na aldeia da Pereira ou dos solos e poços contaminados com herbicidas na freguesia de Santa Margarida da Coutada.
O militante socialista raramente sai do seu registo discreto, mas neste mandato levantou a voz contra o Governo do seu partido, lançando um “grito de alerta” e “de revolta” a reclamar soluções para a falta de médicos de família no concelho. Outro sinal de rebeldia política deu-se quando interrompeu a sua filiação no PS no período em que José Sócrates liderava o partido, por não concordar com algumas situações. Ainda se estava longe de imaginar os casos que envolveriam o ex-primeiro-ministro. Recuperou a militância quando António Costa assumiu a liderança dos socialistas.
Sérgio Oliveira é natural e residente em Santa Margarida da Coutada, na margem sul do Tejo, de onde é oriunda a família. Nasceu no dia 27 de Outubro de 1985. Casado e pai de duas filhas, licenciou-se em Direito e é mestre em Ciências Jurídico Criminais. Exercia funções de jurista no Centro Hospitalar do Médio Tejo antes de assumir as lides autárquicas. Tem um passado ligado ao associativismo de que se destacam os quatro anos como presidente do Grupo Recreativo e Desportivo de Vale de Mestre “Os Relâmpagos”, cargo que deixou quando foi eleito presidente do município. Fez também parte da Associação Académica de Coimbra quando estudou Direito na cidade do Mondego.
Diz que tenta “ser o mais possível honesto, transparente e próximo” e confessa que às vezes é também teimoso. Interessa-se por História e não descarta a possibilidade de um dia tirar uma licenciatura nessa área. Mas não se arrepende de ter optado pelo Direito, pela abrangência e visão que proporciona. É leitor regular e actualmente tem em mãos uma biografia de Winston Churchill.
Sérgio Oliveira tem uma horta de família onde passa algum do tempo livre a cultivar produtos para consumo da casa. Não recorre ao popular Borda d’Água para se orientar com as sementeiras, plantações e colheitas, mas vai sacar umas dicas à Internet. Cria também patos e galinhas e há um par de meses experimentou, pela primeira vez, matar uma galinha. Confessa que não foi uma experiência muito agradável, pelo que não sabe se voltará a repeti-la.
Gosta do contacto com a natureza e tem na natação e na corrida outros dos escapes para o stress. É benfiquista mas não perde tempo a ver jogos de futebol. Nunca teve essa apetência. Também é um leigo em relação à música: “muitas vezes ouço as músicas e não sei quem as canta”. Não surpreende por isso que não se meta quando se trata de propor os artistas para actuar no concelho.


Gosta de viajar mas nunca pensou emigrar
No dia-a-dia, Sérgio Oliveira tenta ser um pai presente e dá o acompanhamento possível às duas filhas pequenas, ajudando na hora das refeições ou dos banhos. Diz que uma das maiores alegrias que teve como autarca foi a criação de uma praia fluvial no rio Zêzere, que não foi um processo fácil. Mas até à data só lá molhou os pés. O mergulho talvez venha um dia destes, certamente em águas bem mais frias do que as do México, onde deve voltar este ano para férias com a família. Viajar é, aliás, um prazer e elege Viena de Áustria como o sítio que mais o marcou, embora também tenha gostado muito de Londres e Madrid. Nunca pensou em emigrar, mas gostava de ter tido uma experiência no estrangeiro nos tempos de estudante. E aconselha os jovens a terem essa experiência que abre horizontes.
O autarca afirma-se crente em Deus e católico não praticante. “Acredito que há qualquer coisa para lá desta vida. Se não houver, não sei se terei consciência para me sentir desiludido quando chegar a minha vez”, diz com humor. Não é homem de fazer promessas aos santos nem a Nossa Senhora da Boa Viagem nos momentos de maior aperto, mas já foi várias vezes a pé a Fátima pela experiência, lazer e convívio.
Sérgio Oliveira tem consciência da importância da comunicação nos tempos actuais e é um utilizador activo das redes sociais, partilhando informações sobre a actividade municipal e sobre a actualidade do concelho, mas raramente expondo a sua vida privada. Dos anos que já leva como presidente da autarquia destacam-se algumas intervenções de requalificação urbana na zona antiga da vila de Constância, nem sempre consensuais, e a criação da praia fluvial no rio Zêzere que tem ajudado a dinamizar o turismo na vila ribeirinha. Neste mandato elege a questão da habitação como prioritária, havendo diversos projectos em curso. E garante não esquecer a velha ambição de uma nova ponte sobre o Tejo.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo