Especiais | 14-06-2024 15:00

Festas de Almeirim são para conviver e não para esbanjar dinheiro em música

Festas de Almeirim são para conviver e não para esbanjar dinheiro em música
ESPECIAL ALMEIRIM
Festas de Almeirim este ano vão dar destaque às gentes da te

Os concertos musicais com nomes sonantes estão afastados das Festas da Cidade de Almeirim porque para o presidente da autarquia não é preciso gastar muito dinheiro em animação para as pessoas conviverem. Haja comes e bebes e já há pretexto para se juntarem e isso não vai faltar. Depois continuam as picarias e o folclore é todos os dias.

A Câmara de Almeirim vai gastar 40 mil euros nos artistas que vão passar pelas festas da cidade durante nove dias, de 15 a 23 de Junho, sem nomes sonantes porque os festejos são para as pessoas conviverem e comerem nas tasquinhas. O presidente da autarquia diz que há quem gaste meio milhão de euros em festas, mas que tem de fazer opções e para ele levar à cidade um artista de renome não é importante. “Existem vários artistas sonantes que cobram mais num concerto do que nós gastamos em música durante todos os dias da festa”, realça Pedro Ribeiro.
Para o autarca as festas são sobretudo para as pessoas se encontrarem, conviverem, irem às tasquinhas e a música é apenas uma actividade complementar. Pedro Ribeiro sublinha que meio milhão de euros dá para fazer muitas obras e que a sua opção vai nesse sentido, sublinhando que as festas continuam a estar cheias de gente sem ser necessário ter artistas muito conhecidos. Este ano metade dos espectáculos são feitos por gente do concelho. O autarca salienta ainda que quase toda a logística é feita pela câmara, como é o caso dos palcos, das tasquinhas, do recinto da picaria, que se a câmara tivesse de alugar os equipamentos tal custaria dezenas de milhar de euros.
Pedro Ribeiro refere a título de exemplo, que vai ser necessário mudar o piso e a iluminação das salas de aulas da Escola Febo Moniz, obras que não estavam no projecto da requalificação recente da escola. Investimento que vai custar cerca de 600 mil euros. E se gastasse muito dinheiro nas festas não poderia fazer esta obra e ele prefere fazer coisas que fiquem para o futuro. Sobre as festas o presidente faz depender o sucesso dos festejos do “calor e bom tempo” e realça que este ano continua a aposta nas “várias ofertas desde o folclore aos DJs na Arena”. E folclore é coisa que vai haver todos os dias à noite, depois de jantar no recinto das festas nos jardins da biblioteca.
As picarias, que custam uns seis mil euros, continuam a marcar grande parte das festas, ocupando cinco noites, sempre depois das 00h00. A festa mais dirigida aos jovens que ocorre na outra ponta da cidade, na praça de toiros, com duas sessões, uma no primeiro dia e outra no sábado, dia 22, ambas depois da meia-noite. Os festejos também vão servir para as marchas populares se mostrarem nos dias 15, 16, 19 e 23. Também se incluíram algumas actividades desportivas, por exemplo no segundo dia há o IX Gymfest – Sarau de Ginástica Acrobática no pavilhão Alfredo Bento Calado, e no dia 23 decorre a partir das 19h00 o evento de atletismo “Correr nas Festas”, com partida e chegada na avenida 25 de Abril.
Em termos de concertos, à noite, Nuno Norte actua no primeiro domingo, Five Vox no dia seguinte e a banda Chave D’Ouro na terça. No dia comemorativo de elevação de Almeirim a cidade, 20 de Junho, a animação é por conta do grupo Sons do Minho e no dia seguinte sobe ao palco um projecto de Almeirim: Indecisa – Oficina Musical. No sábado penúltimo dia das festas a música é dos anos 80, com MT80 e a fechar os festejos sobe ao palco principal Maninho.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo