Entrevista | 04-11-2019 10:00

“Pode-se comer de forma equilibrada num restaurante de comida rápida”

“Pode-se comer de forma equilibrada num restaurante de comida rápida”
TRÊS DIMENSÕES

Maria Emília Santos gere cinco restaurantes McDonald’s no Ribatejo.

Maria Emília Santos tem 63 anos, é franquiada da McDonald’s há 22 anos e tem à sua responsabilidade os restaurantes do Carregado, Porto Alto, Santarém, Torres Novas e Vila Franca de Xira. Nasceu na aldeia de Sobreira, em Viseu, cresceu pelas ruas da freguesia de Marvila, em Lisboa, e reside na Póvoa da Isenta, Santarém. Sempre teve jeito para a matemática e cultiva uma grande ligação com o campo. Gosta de ler e de viajar e tem um grupo de amigos com quem vai regularmente ao cinema.

Nos meus restaurantes não me limito a ver o que se passa ou a orientar. Gosto de arregaçar as mangas e de servir. Normalmente costumo estar em cada dia num restaurante diferente. Aproveito sempre para falar com todos e ajudar no que posso. Para mim é importante esta proximidade com as equipas e com os clientes.

A primeira empresa do ramo alimentar onde trabalhei foi a Nacional. Depois estive na Central de Cervejas e na Aliança, no departamento de marketing. Talvez por isso, quando decidi abrir o meu próprio negócio, preferi a área alimentar. Pensei numa marca forte e foi assim que decidi ser franquiada da McDonald’s.

Adoro a sétima arte e tenho um grupo de amigos com quem vou ao cinema. O último filme que fomos ver foi o ‘Joker’ de Todd Phillips. O cinema é uma distracção mas tenho outras.

Tenho sempre um livro na mesa de cabeceira. Ler sempre fez parte de mim. Neste momento estou a ler ‘As Memórias Secretas da Rainha D. Amélia’ de Miguel Real. Não é muito o meu estilo de leitura, mas li sobre ele e pareceu-me interessante por isso fiz questão de o comprar.

Conheci o meu marido na juventude estudantil católica. Frequentava a igreja e comecei também a participar nas actividades dos grupos de jovens católicos. Era um fórum de discussão dos mais diversos temas.

Cresci em Lisboa e os pátios de Marvila foram o meu parque de diversões na infância. Agora a freguesia está muito ‘in’, mas na altura era mais bairrista e composta por famílias vindas do norte do país. Brincava com as amigas à apanhada, ao ‘mata’ e às escondidas.

Vou várias vezes para a frente do fogão. Quando estou em casa faço questão de confeccionar os meus petiscos e salgados. Um prato que me sai sempre bem é o bacalhau com magusto, típico do Ribatejo. É de comer e chorar por mais.

Faço pilates uma vez por semana. Nunca fui adepta de praticar exercício físico mas com a idade, comecei a sentir essa necessidade. Optei pelo pilates porque me ajuda na correcção corporal e faz-me sentir bem.

Fiz o famoso caminho entre Las Vegas e São Francisco de carro. Passei por todas aquelas praias fantásticas da Califórnia. Outra viagem que me marcou foi fazer o transiberiano. Primeiro atravessámos a Sibéria, depois fomos até à Mongólia e a seguir a Pequim.

Os restaurantes de comida rápida também servem refeições equilibradas. A McDonald’s tem evoluído no sentido de acompanhar as tendências da sociedade e, por isso, tem vindo a alargar permanentemente a variedade dos seus menus. A oferta é variada, passando pelos hambúrgueres de carne de vaca, de frango, peixe e uma opção vegetariana à base de vegetais e quinoa, bem como às sopas, saladas, frutas e pequeno-almoço.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1429
    13-11-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1429
    13-11-2019
    Capa Médio Tejo

    Cavaleiro Andante