Entrevista | 18-02-2020 18:00

Amílcar António Teixeira Dias

Amílcar António Teixeira Dias
AGORA FALO EU

Gerente de Hotelaria - 50 anos, Almeirim

É adepto de algum clube? Qual foi a maior loucura que fez pelo seu clube?

Sim, sou do Benfica, mas nunca fiz nenhuma loucura.

Nas férias prefere praia, campo ou neve?

Apesar de gostar de praia, campo e neve, nas minhas férias opto sempre pela praia. Gosto muito de calor e do mar.

Os jovens estão motivados para dar continuidade às tradições?

Cada vez mais sinto que as tradições se vão perdendo. Tento incuti-las na minha filha e nos que me são mais próximos. Os valores intrínsecos à nossa cultura são os que nos diferenciam e caracterizam a nossa identidade.

O ensino do fandango devia ser obrigatório nas escolas ribatejanas?

Não me parece que a obrigatoriedade deste tipo de dança seja importante.

O que é que punha a funcionar na sua terra que não existe?

Almeirim é um local de passagem, é um destino procurado não só pela sua gastronomia, mas também pela forma acolhedora como os visitantes são recebidos. Faz falta um hotel de maior dimensão para receber muitas pessoas que por aqui passam.

Qual foi a melhor viagem que fez até hoje?

A minha melhor viagem foi, sem dúvida, ao Brasil. Um destino paradisíaco.

A beleza é fundamental?

Sim, a beleza interior.

Quem lhe contava histórias quando era criança?

Os meus avós e os meus pais.

Quem gostaria de ser se não fosse quem é?

Vivo bem com o quem sou.

O respeitinho é muito bonito?

É muito bonito e eu gosto!

Comprar roupa ou calçado dá-lhe prazer?

Não gosto de ir às compras.

Qual o seu prato preferido de bacalhau?

Tiborna de bacalhau.

Em sua casa já se faz separação do lixo para reciclagem?

Sim, cada vez mais temos que nos preocupar com o meio ambiente.

Ler jornais é saber mais?

Não só os jornais, a leitura é uma actividade que devia fazer parte da nossa rotina diária.

Quantos verdadeiros amigos acha que tem?

Tenho poucos amigos, mas os que tenho são verdadeiros. Os dedos de uma mão chegam para os contar.

Há alguma coisa pela qual ainda valha a pena lutar até à morte se necessário for?

Sim, por aquilo em que acreditamos e por todas as pessoas que amamos.

Fazem falta mais mulheres na política?

Claro que sim, até porque está cientificamente provado que o cérebro da mulher e do homem são diferentes.

Alguma vez deu sangue?

Já dei sangue e tenciono fazê-lo mais vezes se a minha saúde o permitir.

Se vir alguém deitar lixo para o chão diz-lhe alguma coisa?

Claro que sim! É o nosso dever.

Qual foi a sua maior extravagância?

Não tenho nada a dizer.

A instalação de câmaras de vídeo é uma boa maneira de combater a criminalidade?

A vídeo-vigilância é fundamental para combater a criminalidade.

Quais as qualidades que mais aprecia numa pessoa?

A honestidade e a frontalidade.

Fecha a água enquanto escova os dentes ou quando se ensaboa no banho?

Sim, a água é um bem precioso.

Qual é o seu maior defeito?

Sou um pouco teimoso e lido mal com a crítica.

Qual a promessa que fez a si próprio mais vezes no início de cada ano e que vai continuar a fazer porque ainda não conseguiu cumpri-la?

Não costumo fazer promessas que não consigo cumprir.

Tem médico de família?

Não tenho médico de família.

A justiça é igual para todos?

A justiça não é igual para todos, nem nunca vai ser.

Alguma vez frequentou uma praia de nudismo?

Não. Nunca fui a uma praia de nudistas.

Gosta de uma boa discussão?

Sim, se for uma conversa franca e calma.

Em quantas localidades viveu até agora desde que nasceu?

Vivi em três localidades diferentes desde que nasci. Foi bom conhecer outras pessoas e realidades diferentes.

O que é que lhe provoca um sono irresistível?

Sentar-me no sofá depois de um longo dia de trabalho.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1449
    04-03-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1449
    04-03-2020
    Capa Vale Tejo