Entrevista | 02-11-2022 17:59

Daniela Alves

Daniela Alves. fotoDR

Administrativa na K-Tubo Injection Lda.
27 anos, Carregueira (Chamusca)

Quantos guarda-chuvas costuma perder num Inverno bastante chuvoso?
Perco sempre todos, por isso é que já desisti de usar chapéus de chuva.
Já alguma vez teve de mudar um pneu do carro?
Já, mas tive que chamar o meu pai.
Lembra-se da última vez que usou a bicicleta como meio de transporte?
Não, portanto já foi há imenso tempo.
Qual o alimento que não comia nem que lhe pagassem?
Tenho um problema grave com todos os alimentos que sejam verdes! Não comia nenhum, nem que me pagassem!
Vale a pena ir votar? Porquê?
Claro! Quero ter a oportunidade de escolher.
Fazem falta mais mulheres na política?
Eu acho que faltam mais mulheres em todos os lugares.
O que o leva a mudar de canais quando vê televisão?
A maioria dos programas são aborrecidos, ou sou eu que sou um pouco esquisita.
Se lhe saísse o Euromilhões qual era a primeira coisa que fazia?
Beliscava-me, só para ter a certeza que não estava a dormir.
As redes sociais aproximam ou afastam as pessoas?
Depende de cada um. No meu caso aproximou.
Se pudesse encarnar uma personagem de ficção por um dia, qual escolheria?
Alice no País das Maravilhas. Porque é dotada de uma grande imaginação, curiosidade, é sonhadora e fantasiosa, de tal maneira que conseguiu criar um mundo por si própria.
E se pudesse ter um super poder, qual escolheria?
Gostava de ser invisível. Dava jeito em algumas situações.
Gosta mais do campo ou da cidade?
Campo! Costumo dizer que sou menina da aldeia.
Gosta de touradas?
Sim! Gosto de ver e vibro com a valentia dos forcados. Estar cara a cara com o touro, não é para qualquer um.
Qual o objecto que nunca fica em casa?
As chaves do carro. Tenho preguiça de andar a pé.
Ir comprar roupa ou calçado dá-lhe prazer?
Não me dá prazer nenhum.
Do que é que sente mais saudades?
Não sinto saudades de nada. Acho que tudo na vida tem o seu tempo, e gosto mesmo é de aproveitar o presente.
Os jovens estão motivados para seguir as tradições? 
Na minha óptica, e com base nas minhas vivências, tenho uma opinião favorável a esse respeito. Vivo numa comunidade pequena, uma aldeia do concelho da Chamusca onde, de boa saúde, há dois ranchos folclóricos e uma banda filarmónica com 90 anos. Na Carregueira, os jovens participam em grande parte de actividades comunitárias. Dou o exemplo das marchas na altura dos santos populares. São festividades que têm a participação de 5 marchas, onde em cada uma integra cerca de 50 pessoas nos mais variados papéis.
Alguma vez deu sangue?
Apenas consegui dar sangue uma vez. Nunca mais consegui chegar aos 50kg, que é o peso mínimo para dar sangue.
Quais as qualidades que mais aprecia numa pessoa?
Gosto de pessoas bem dispostas.
O que significa a expressão “Gozar a vida”?
Aproveitar cada dia.
Qual a sua actividade preferida?
Futebol! Assistir também conta como actividade, ou não? 
É capaz de cantar um fado do princípio ao fim? Qual?
Sim, tenho bom ouvido. Por exemplo, o mais recente fado do Rui Tanoeiro “Morena da minha aldeia”.
Este ano tem sido bom para si?
Até agora foi um ano bastante agradável, mas não gosto de viver com muitas expectativas, deixo só as coisas irem acontecendo. Só espero ter saúde e o resto tudo se arranja.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1588
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1588
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo