Foto Galeria | 23-11-2020

Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira

1 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira
2 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira
3 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira
4 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira
5 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira
6 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira
7 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira
8 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira
9 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira
10 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira
11 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira
12 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira
13 / 13
Monsanto assinala Dia da Floresta Autóctone com florestação de escombreira

Quarenta sobreiros e carvalhos foram plantados na manhã desta segunda-feira, 23 de Novembro, onde antes eram depositados os restos de rocha sem sem interesse económico. A iniciativa da empresa Rafaéis Mármores SA assinalou o Dia da Floresta Autóctone.

Para assinalar o Dia da Floresta Autóctone, 23 de Novembro, a empresa Rafaéis Mármores SA promoveu a recuperação de uma uma área degradada junto da pedreira nº 5842, em Monsanto, concelho de Alcanena.

No local, uma antiga escombreira onde se acumulavam fragmentos de rocha sem interesse económico, foram plantadas 40 árvores autóctones (sobreiros e carvalhos).

De acordo com os administradores da empresa, Samuel Delgado e Rogério Vigário, a acção de florestação insere-se no âmbito da estratégia ambiental e de sustentabilidade que a Rafaéis quer prosseguir e marca a primeira acção deste tipo no concelho de Alcanena, embora a empresa seja responsável por cerca de 30% dos 110 hectares recuperados no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, mas noutros municípios como Santarém, Porto de Mós, Rio Maior ou Alcobaça.

Para o presidente da Junta de Freguesia de Monsanto, Samuel Frazão, esta é uma óptima forma de marcar a data simbólica sem esquecer que a sustentabilidade do negócio da exploração de pedra tem que estar aliada à sustentabilidade ambiental. Hugo Santarém, em representação do município de Alcanena reforça esta teoria e fala de uma “iniciativa feliz”.

A Rafaéis Mármores SA extrai da pedreira de Monsanto alpinina, uma pedra calcária de cor bege rosada, com elevada dureza, o que a torna ideal para pavimentos interiores sujeitos a muito tráfego, revestimento de cozinhas e casas de banho, assim como bancadas, lavatórios, banheiras e bases de duche.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1536
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1536
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo