Identidade Profissional | 30-10-2022 06:00

O chef de cozinha que transformou o lagar de azeite familiar num negócio em expansão

David Correia é gerente na Fonte da Bica, um espaço que serve refeições, provas de azeite e degustação de produtos

A marca Fonte da Bica foi registada há quatro anos mas o lagar de azeite da família Correia começou a dar os primeiros passos em 1937.

Há cerca de quatro anos remodelaram e ampliaram o espaço que se transformou numa loja e restaurante com espaço para degustações. David Correia tem dinamizado o negócio da família, mas conta com o apoio dos pais, que também trabalham no local. Adquirir as melhores azeitonas e juntar o saber fazer antigo à modernidade é o que distingue o azeite Fonte da Bica. O facto de estar na zona das Salinas de Rio Maior é uma vantagem que se tem traduzido em mais e novos clientes.

A marca Fonte da Bica foi registada há cerca de quatro anos mas o lagar de azeite da família Correia começou a dar os primeiros passos em 1937 pela mão do avô de David Correia, a que o pai deste deu seguimento. Nas férias escolares, David Correia ajudava o pai na campanha da azeitona no lagar junto às Salinas de Rio Maior. Nessa altura produzia-se o azeite da campanha, distribuía-se pelos sócios que o vendiam por conta própria. “Produzia-se pouco azeite nessa altura. A minha tarefa era retirar a massa seca que ficava colada ao tapete, onde as azeitonas eram prensadas. Batia com um pau para a massa sair”, recorda David Correia, actual gerente da Fonte da Bica.
O jovem, de 30 anos, fez a escolaridade obrigatória em Rio Maior e prosseguiu os estudos na Escola Profissional de Alcobaça onde tirou o curso de Cozinha, a sua paixão. Depois formou-se na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, tendo trabalhado em vários restaurantes do Bairro Alto, em Lisboa, e no Guincho, concelho de Cascais. Há 12 anos o seu pai remodelou o lagar, que era muito pequeno. Em conversa começaram a falar de unir os dois mundos, do azeite e da cozinha.
Decidiram ampliar o espaço e, além do lagar, compraram outro onde funciona, desde 2018, a loja e sala de refeições. Esta funciona para almoços e jantares – apenas através de reserva – e provas de degustação. Na loja vendem produtos tradicionais ligados ao azeite como, por exemplo, pasta de azeitona. Quem visitar a Fonte da Bica pode escolher um ‘pack’ de experiências que inclui degustação de produtos, provas de azeite e refeições. No próximo ano pretendem criar uma esplanada no exterior para petiscos e sem necessidade de reservas ou marcação.
David Correia formou-se através da chamada escola europeia e francesa mas tem uma paixão pela gastronomia asiática e japonesa. No entanto, no seu restaurante opta por pratos tradicionais. Na Fonte da Bica podem provar-se ovos de codorniz com molho vinagrete, bolinhas de alheira fritas em azeite e salada de camarão selvagem para entradas, além da tábua com produtos Fonte da Bica, entre outras especialidades. Como prato principal estão no cardápio cachaços de bacalhau com broa de milho, tábua de carnes locais com risoto de cogumelos e batatas fritas em azeite.
A família Correia não tem olival. Compra azeitona a pequenos produtores e quando tem pouca azeitona, como é o caso deste ano, compram a fornecedores do Alto Alentejo, que conhecem há mais de 60 anos. “No ano passado foi excelente. O lagar produziu cerca de um milhão de quilos de azeitona e fizemos cerca de 150 mil litros de azeite. Depois de um ano muito bom sabemos que se segue um ano menos bom”, explica David Correia que há cerca de quatro anos assumiu o cargo de chef e gerente a tempo inteiro, juntamente com os pais.

Novos produtos a caminho
Desde que registaram a marca Fonte da Bica começaram a engarrafar azeite virgem extra. Vendem em lojas gourmet e mais tradicionais. Não faz parte da sua estratégia venderem para grandes superfícies comerciais. “Até porque não temos capacidade para grande produção, que é necessária para os hipermercados e perderíamos qualidade. Vendemos para clientes da zona de Lisboa e exportamos para o sul de França, Alemanha e Inglaterra”, esclarece o jovem empresário, acrescentando que o site na Internet ajuda a chegar a potenciais clientes.
O facto de estarem na zona das Salinas de Rio Maior é uma vantagem que se tem traduzido em mais e novos clientes. David Correia pretende criar parcerias com agências de turismo para trazer mais clientes. Entre os próximos projectos está a produção de manteiga de azeite e geleias com azeite e frutas. “A ideia é expandir o negócio sempre com azeite como principal produto sem nunca esquecer o nosso lema: Sabor com Saber”, conclui.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1596
    11-01-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1596
    25-01-2023
    Capa Médio Tejo