Identidade Profissional | 24-04-2024 21:00

Um apaixonado por velocidade que quer espalhar a magia da competição na região

Um apaixonado por velocidade que quer espalhar a magia da competição na região
IDENTIDADE PROFISSIONAL
Fábio Santos vive na zona do Carregado há 32 anos e é a primeira vez que está a liderar um negócio

Fábio Santos, de 34 anos, é um dos sócios-gerentes do Campera Karting do Carregado, uma pista onde a adrenalina e a competição andam de mãos dadas e onde se desenvolvem competências que podem ser úteis a quem conduz na estrada. O empresário abraçou o desafio de liderar o negócio em 2022 com o sócio Tiago Teixeira e a resposta dos clientes tem sido positiva.

Quando há dois anos surgiu a oportunidade de gerir o Campera Karting, no Centro Comercial Campera, no Carregado, Fábio Santos e o sócio, Tiago Teixeira, não olharam para o lado e abraçaram o desafio. Tem sido uma aposta ganha sustentada em muito trabalho, honestidade e no honrar da palavra dada, valores que, para Fábio Santos, fazem parte do seu dia-a-dia.
Fábio Santos é natural de Santarém mas desde os dois anos que vive na zona do Carregado, terra onde fez todo o seu percurso profissional. “Conheci o Tiago Teixeira há 15 anos neste mundo dos karts e da competição e criou-se uma grande amizade. Em 2022 percebemos que o espaço ia ficar disponível e decidimos apresentar um projecto ao Campera e abraçar este desafio”, conta. Hoje o Campera Karting é a sua ocupação a tempo inteiro.
“A decisão de ficar com o negócio foi rápida mas o processo demorou uns seis meses até ficar concluído”, explica a O MIRANTE o jovem empresário, que na altura tinha saído de uma empresa e precisava de abraçar um novo desafio profissional. Confessa que não foi fácil passar de empregado a patrão. “Foi uma experiência totalmente diferente. Foi como largar um gato num quarto fechado. No início não sabia bem para onde me virar”, brinca, lembrando que esses dias de aprendizagem foram importantes para o seu percurso e para hoje poder servir bem os clientes e quem procura o Campera Karting, dos amadores aos profissionais que ali guardam os seus karts de competição nas oficinas.
“Reformulámos o que existia e melhorámos os serviços. Adquirimos uma nova frota de karts para o aluguer individual e seis karts semi-novos para juntar à frota dedicada às provas de grupos, que agora tem uma frota de 30. Temos também três karts infantis para as crianças dos oito aos 12 anos e reformulámos um bi-lugar”, conta. Para os alugueres individuais, de quem visita o Campera e quer dar uma volta, estão disponíveis karts de 270 centímetros cúbicos. “A pista parece pequena mas é muito técnica e muito desafiante”, explica.
Com a chegada da Primavera e do Verão chega também a melhor altura para andar de karting e Fábio Santos explica que mais do que sentir a adrenalina da velocidade, e ter uma sensação de como é andar numa pista, há lições que ficam para fora e que os condutores levam consigo. Uma delas, básica, é nunca travar a meio de uma curva para imobilizar o veículo. “Aprende-se muita coisa nos karts. A algumas pessoas pode fazer confusão na primeira vez ocupar toda a pista mas isso acontece porque não há uma faixa, toda a gente anda no mesmo sentido. É bom para praticar a destreza e praticar como lidar com um imprevisto e treinar as reacções de travagem, por exemplo”, explica a O MIRANTE. Fábio Santos lembra que no karting todos os conhecimentos da pista podem ser úteis na estrada e vice-versa.
O Campera Karting foca-se sobretudo na experiência de karting mas sempre que algum clube precisa de usar a pista podem ser negociadas condições especiais. “Há pouco tempo tivemos aqui um encontro dos Amigos dos Japoneses Antigos (clube nacional de clássicos japoneses), que se juntaram a conviver e, no final, tiveram direito a duas voltas cada na pista, dois carros de cada vez. Não é nosso objectivo abrir a pista aos automóveis mas pontualmente podemos fazê-lo para permitir aos condutores andar num ambiente controlado”, explica o responsável.

O sonho de ser piloto
O desporto motorizado esteve sempre muito presente na vida de Fábio Santos. O pai foi jornalista no jornal Autosport e desde pequeno que o empresário sonhava ser piloto de automóveis. Lewis Hamilton é um dos seus pilotos favoritos e a Mclaren uma das equipas que gosta de acompanhar na Fórmula 1. Ainda assim, confessa, a sua grande paixão é o Moto GP.
O que o fascina no desporto motorizado é a adrenalina e o facto de enquanto se estar a competir a cabeça não pensar em mais nada. Fábio Santos confessa-se uma pessoa com uma grande ética de trabalho pautada pela rectidão e onde a organização é a sua mais-valia. Lamenta que, hoje em dia, as redes sociais não ajudem nada a incutir melhores valores nos mais jovens. “Hoje um pai cala um filho colocando-lhe um ecrã à frente. É uma educação completamente diferente do que tivemos há uns anos. Havia mais respeito”, lamenta.
O empresário diz-se grato por tudo o que a vida lhe tem dado, inclusive poder trabalhar naquilo que adora. “Sou um privilegiado nesse sentido”, destaca. Fábio Santos diz que na vertente de lazer uma pessoa que queira experimentar as sensações de andar de kart pode começar por uma sessão de 10 minutos. Embora o ideal, para uma pessoa com alguma experiência, seja uma sessão de 40 minutos, dividida em duas sessões de 20 minutos cada.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1664
    15-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1664
    15-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo