Internacional | 23-05-2022 15:22

Diplomata russo na ONU demite-se por vergonha da invasão da Ucrânia

FOTO UNSPLASH – FOTO ILUSTRATIVA

“É inadmissível o que o meu Governo está a fazer”, afirmou Boris Bondarev, que tem 20 anos de carreira diplomática.

Um diplomata veterano russo da delegação da ONU em Genebra anunciou hoje ter entregado a sua demissão à missão diplomática russa, alegando que nunca teve tanta vergonha do seu país como no dia da invasão da Ucrânia.

O diplomata, Boris Bondarev, de 41 anos, enviou, hoje de manhã, uma carta aos seus homólogos de outros países, na qual critica a “guerra agressiva desencadeada” pelo Presidente russo, Vladimir Putin, na Ucrânia.

“Em 20 anos de carreira diplomática, vi diferentes reviravoltas na nossa política externa, mas nunca tive tanta vergonha do meu país como em 24 de fevereiro deste ano”, escreveu, referindo-se à data da invasão da Ucrânia pela Rússia.

Bondarev – um conselheiro diplomático que se concentrou no papel da Rússia na Conferência sobre Desarmamento em Genebra depois de ter estado colocado em países como o Camboja ou a Mongólia – adiantou ter entregado a sua demissão em carta endereçada ao embaixador Gennady Gatilov.

A demissão constitui uma rara – se não inédita – admissão pública do descontentamento entre o corpo diplomático russo pela guerra da Rússia na Ucrânia, numa altura em que o Putin tem tentado reprimir dissidências e opiniões contrárias à do Kremlin (presidência russa) relativamente à “operação militar especial” – como é oficialmente conhecida na Rússia a guerra na Ucrânia.“É inadmissível o que o meu Governo está a fazer”, afirmou Bondarev

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo