Internacional | 21-11-2022 12:00

Consumo recreativo de “gás hilariante” está a aumentar apesar de causar danos à saúde

rir risota gas hilariante
foto ilustrativa - foto dr

Os efeitos psicoativos incluem sensação de euforia, relaxamento e dissociação e são conhecidos há mais de 200 anos

O consumo recreativo de óxido nitroso é uma preocupação crescente na Europa por haver riscos e danos associados a este gás, que “é fácil de obter, barato e popular entre os jovens”, aponta um relatório do Observatório Europeu.
O documento do Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (EMCDDA, na sigla em inglês) é hoje divulgado em Lisboa e apresenta estudos de casos na Dinamarca, Irlanda, França, Lituânia, Países Baixos, Reino Unido e Portugal.
Os especialistas portugueses já estão a estudar este fenómeno de consumo e as autoridades policiais a acompanhar e a apreender botijas e balões deste “gás hilariante”, que já entrou na Tabela de Novas Substâncias Psicoativas.
No relatório, a agência europeia da droga, sediada em Lisboa, explica que o óxido nitroso tem utilizações legítimas para fins médicos, industriais, comerciais e científicos (por exemplo, como aditivo alimentar ou anestésico na medicina) e que “os seus efeitos psicoativos incluem sensação de euforia, relaxamento e dissociação e são conhecidos há mais de 200 anos”.
No entanto, acrescenta, na última década registou-se um grande aumento do seu consumo em várias regiões do mundo, incluindo em alguns países europeus, onde a substância se tornou mais amplamente disponível, sobretudo desde 2017–2018.
“A popularidade crescente do óxido nitroso pode, em certa medida, ser explicada pela facilidade em adquirir a substância, o seu baixo preço, os seus efeitos de curta duração e pela perceção geral dos consumidores de que é uma droga relativamente segura”, refere o relatório.
Contudo, o consumo desta substância tem “efeitos negativos para a saúde”, podendo provocar intoxicações, queimaduras e danos no sistema nervoso.
De acordo com o relatório, o crescente de consumo de óxido nitroso tem-se traduzido num “aumento das intoxicações”, que, “embora em número ainda relativamente pequeno face ao de utilizadores, tendem a estar associadas a padrões de consumo mais intensivos ou mais frequentes”.
Estas intoxicações incluem vários graus de danos no sistema nervoso (neurotoxicidade) associados com a desativação irreversível da vitamina B12 no organismo (uma vitamina essencial para o funcionamento saudável dos nervos).
Outros casos incluem queimaduras graves pelo frio (causadas pela exposição ao gás frio libertado do recipiente) e lesões pulmonares, normalmente causadas por garrafas de maior dimensão devido a alta pressão. Adicionalmente, em pelo menos um país (Países Baixos) houve um aumento significativo de acidentes rodoviários associados com o consumo de óxido nitroso, destaca o documento.
O relatório salienta, no entanto que “é importante ressalvar que a grande maioria das pessoas ou não consome óxido nitroso ou consome muito ocasionalmente, em quantidades relativamente pequenas”.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo