Livros que São Vidas | 06-12-2020 20:47

O Decameron, o livro de novelas que atravessa uma pandemia

O Decameron, o livro de novelas que atravessa uma pandemia
LIVROS QUE ATRAVESSAM A PANDEMIA

A peste bubônica desembarcou na Sicília de navios vindos da Síria e se espalhou pela Europa, semeando morte, ruína e paralisando o frenético ritmo social das cidades.

A peste bubônica desembarcou na Sicília de navios vindos da Síria e se espalhou pela Europa, semeando morte, ruína e paralisando o frenético ritmo social das cidades. Em 1348, o mundo de Giovanni Boccaccio e o destino da cidade de Florença mudaram dramaticamente.

O então centro mercantil, condenado pelo Auxo de viajantes e mercadores, tomou-se o centro da pandemia e seus muros tomaram-se o símbolo de uma cidade sitiada e atingida pela doença. Cessou o comércio, cessou a comunicação entre municípios e regiões, e os florentinos adotaram o distanciamento social como medida que se mostrou, na época, ineficaz diante de uma doença pouco conhecida, que não se sabia como se transmitia, não pelo contacto humano, mas pela picada de pulgas, roedores ou parasitas; e com o aparecimento de bubões negros no corpo, matava suas vítimas logo após o terceiro dia.

Quase vazia de habitantes, a cidade viu seus cidadãos adoecerem e morrerem aos milhares, desprovidos de sacramentos, remédios ou consolação. Muitos fugiram da cidade para o campo, abandonando propriedades e deixando seus doentes, e outros, retidos pela pobreza, a necessidade ou a esperança, permaneceram isolados em suas casas. As vítimas da peste pereceram na solidão e anunciaram a morte aos seus vizinhos com o fedor dos seus corpos que, devido à insuficiência dos cemitérios, foram transportados em tábuas de madeira e enterrados às centenas em valas comuns.

Mais de 100.000 pessoas morreram dentro das muralhas de Florença entre 1347 e 1353, e na Europa mais de um terço de sua população. Com as cidades dizimadas pela doença e a tome, a peste - como agora - significou o aprofundamento de uma crise social que havia começado há muito tempo e o colapso de um sistema já decomposto; os estatutos sociais foram suspensos, a autoridade das leis divinas e humanas foi reduzida e o sistema estatal foi democratizado ao minar a posição econômica de suas oligarquias.

Com a falência dos Bardi, os Peruzzi e os Acciaioli - um grande grupo de ricas famílias forentinas responsáveis pela atividade bancária da cidade - devido a uma série de dívidas não pagas do Rei da Inglaterra, Eduardo III e do Rei da Sicília, Roberto de Anjou, Florença se encontrava no limite. Mesmo com o florim de ouro - a moeda mais influente do momento - a capital econômica da Europa escava privada de tudo, faminta por falta de alimentos, e nas entranhas de uma das pandemias mais letais registadas na história moderna.

Veja o texto completo aqui.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1496
    10-02-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1496
    10-02-2021
    Capa Vale Tejo