Nacional | 22-12-2022 17:39

Falta de padres leva a igreja a apostar em diáconos permanentes

Falta de padres leva a igreja a apostar em diáconos permanentes

Cargo pode ser atribuído a homens de idade madura, mesmo casados e a jovens idóneos, sendo que em relação a estes últimos mantém-se a lei do celibato.

A diocese de Viana do Castelo vai iniciar em 2023 a formação de diáconos permanentes para responder a falta de padres nas 291 paróquias espalhadas pelos 10 concelhos do distrito de Viana do Castelo.
O anúncio foi feito pelo bispo João Lavrador, na noite de quarta-feira, durante o primeiro jantar de Natal que promoveu com a imprensa do concelho de Viana do Castelo.
O bispo explicou que a diocese “é a única” no país que ainda não implementou a figura do diácono permanente, prevista na lei da Igreja.
Além de responder à falta de sacerdotes, João Lavrador defendeu que a medida vai permitir uma igreja mais aberta às comunidades
A diocese de Viana do Castelo, a mais recente do país, foi fundada através de uma bula do beato Paulo VI, publicada a 03 de Novembro de 1977, e abrange os 10 concelhos do Alto Minho, integrando 291 paróquias e cerca de 120 sacerdotes.
De acordo com a nota pastoral de João Lavrador, hoje consultada pela agência Lusa no sítio oficial da diocese na Internet, o perfil do diácono permanente pode ser conferido a “homens de idade madura, mesmo casados” e a “jovens idóneos”, sendo que em relação a estes últimos “permanece em vigor a lei do celibato”.
Os candidatos devem ter “maturidade psíquica, capacidade de diálogo e de comunicação, sentido de responsabilidade, diligência, equilíbrio e prudência”.
Podem ser diáconos permanentes homens solteiros a partir dos 25 anos e casados com mais 35 anos.
Para “além da estabilidade da vida familiar, os candidatos casados não podem ser admitidos sem o consentimento da mulher”.
Já os viúvos, sendo ordenados diáconos, “mesmo os de idade mais amadurecida, são inábeis para contrair matrimónio, em virtude da disciplina tradicional da Igreja”.
O ministério de diácono permanente é exercido no contexto da diocese à qual pertence e na qual foi ordenado e é realizado gratuitamente.
Será ainda nomeada uma equipa diocesana coordenadora para o Diaconado Permanente “para dinamizar, acompanhar o processo de escolha, dialogar com o Instituto Católico sobre o plano de estudos, proporcionar a formação espiritual, atender ao discernimento, apresentar os candidatos ao Bispo diocesano, e proporcionar a formação permanente dos diáconos permanentes.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo