Nacional | 10-01-2023 18:00

GNR condenado a seis anos de prisão efectiva por crimes contra imigrantes

GNR condenado a seis anos de prisão efectiva por crimes contra imigrantes

Rúben Candeias foi condenado por um crime de sequestro agravado, cinco de ofensas à integridade física qualificada e um de abuso de poder.

O Tribunal de Beja condenou hoje a seis anos de prisão efectiva um dos sete militares da GNR julgados por crimes contra imigrantes no concelho de Odemira (Beja), enquanto os restantes foram condenados a penas suspensas.

Na sessão de leitura do acórdão, realizada esta tarde, o presidente do colectivo de juízes condenou os sete arguidos, a penas de prisão que, em cúmulo jurídico, variam entre um ano e três meses e os seis anos.

Contudo, apenas o arguido que chegou a julgamento pronunciado por mais crimes (10), Rúben Candeias, foi condenado a prisão efectiva, a um cúmulo jurídico de seis anos.

Em declarações à agência Lusa, o advogado de Rúben Candeias, António Alves, disse que ainda vai analisar o acórdão do colectivo de juízes, antes de decidir se recorre da decisão, mas considerou-a, numa primeira análise, excessiva.

“Só depois da leitura é que podemos aferir se temos bases para recorrer e em que moldes o vamos fazer”, disse, frisando que “qualquer pena de prisão efectiva é excessiva”.

Segundo António Alves, Rúben Candeias foi condenado por um total de sete crimes, um deles de sequestro agravado, cinco de ofensas à integridade física qualificada e um de abuso de poder, ou seja, “foi absolvido de três crimes de abuso de poder”.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1596
    11-01-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1596
    25-01-2023
    Capa Médio Tejo