Nacional | 20-01-2023 18:14

Stop recusa serviços mínimos para garantir refeições nas escolas e acolher alunos com necessidades especiais

Tentativa do ministério surge na sequência da apresentação de mais um pré-aviso de greve para a primeira semana de Fevereiro

O Sindicato de Todos os Profissionais da Educação (STOP) recusou hoje a proposta do ministério da Educação de serviços mínimos que permitam ter as escolas abertas, dar refeições e acolher alunos com necessidades educativas especiais, revelou fonte sindical.

Depois de duas horas e meia numa reunião pedida pelo Ministério da Educação para a definição de serviços mínimos nas escolas enquanto decorrem as greves, Ana Baú revelou aos jornalistas que o sindicato recusou a proposta da tutela e que o assunto seguirá agora para um colégio arbitral.

“Não aceitámos. Não há acordo”, disse Ana Baú, acrescentando que agora será “criado um conjunto de juízes para fazer um colégio arbitral”.

A convocatória do ministério surge na sequência da apresentação de mais um pré-aviso de greve para a primeira semana de Fevereiro pelo STOP, que iniciou as greves nas escolas no início de Dezembro do ano passado.

Segundo Ana Baú, o ministério defendia serviços mínimos para “assegurar a abertura das escolas assim como a segurança dos alunos, as refeições e assegurar também a situação dos alunos com necessidades educativas especiais”.

O STOP é contra a definição de serviços mínimos nas escolas e defende que a situação se resolverá quando houver cedência por parte do ministério às reivindicações dos professores.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1596
    11-01-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1596
    25-01-2023
    Capa Médio Tejo