Nacional | 23-01-2023 11:25

Marcelo já atribuiu mais de mil condecorações mas ainda está longe dos anteriores presidentes

Marcelo Rebelo de Sousa – Foto Arquivo O MIRANTE

As de mais alto grau foram para Cavaco Silva, Ramalho Eanes, Jorge Sampaio e Vítor Constâncio e, a título póstumo, para José Saramago, Sophia de Mello Breyner e Paula Rego.

Marcelo Rebelo de Sousa, eleito Presidente da República há sete anos, atribuiu desde o início do seu primeiro mandato mais de mil condecorações a cidadãos ou entidades nacionais, cerca de 750 nos cinco anos do primeiro mandato e 275 neste segundo mandato, até ao fim de Outubro de 2022.
As condecorações com o mais alto grau das ordens honoríficas – o grande-colar – foram para os antigos chefes de Estado Aníbal Cavaco Silva, António Ramalho Eanes e Jorge Sampaio, para o antigo governador do Banco de Portugal e ex-vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE) Vítor Constâncio e, a título póstumo, para os escritores José Saramago e Sophia de Mello Breyner e a pintora Paula Rego.
Para comparação, os números de insígnias entregues pelos seus antecessores eleitos em democracia, no conjunto dos respectivos dois mandatos, foram os seguintes: Aníbal Cavaco Silva teve o menor número, aproximadamente 1.500, Jorge Sampaio cerca de 2.400, Mário Soares perto de 2.500 e António Ramalho Eanes cerca de 1.900.
Isto contabilizando apenas condecorações atribuídas no plano nacional. Os estrangeiros condecorados pelo actual Presidente da República foram 270, até Dezembro do ano passado.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo