Nacional | 04-08-2023 14:40

Vinte e sete mil notificações de reacções adversas a medicamentos

Vinte e sete mil notificações de reacções adversas a medicamentos

Relatório do Infarmed relativo a 2022 refere que, pelo menos um em cada cinco casos foi considerado grave

O Infarmed recebeu no ano passado quase 27.000 notificações de suspeitas de reacções adversas a medicamentos e, pelo menos um em cada cinco casos foi considerado grave.
Segundo o relatório de actividades do Sistema Nacional de Farmacovigilância correspondente ao ano de 2022, a notificação de reacções adversas baixou (-31%) relativamente a 2021, o que faz o Infarmed alertar para a necessidade de “aumentar a consciencialização” de todos para a importância desta comunicação.
O documento refere igualmente que o ano de 2022 ficou marcado pela diminuição das notificações de suspeitas de reacções adversas relativamente às vacinas contra a covid-19, que passaram de 24.885 (2021) para 16.486 (2022).
Os dados divulgados pelo Infarmed mostram que nos últimos 30 anos o Portal com aquele tipo de casos registou 144.344 notificações de suspeitas de reacções adversas.
Das 26.932 notificações de suspeitas registadas, 5.902 (22%) foram recebidas por via directa e 21.030 (78%) através da indústria farmacêutica (titulares de Autorização de Introdução no Mercado).
Em 2022, a maior parte das suspeitas de reacções adversas foram notificadas por profissionais de saúde (70%), das quais 32% de médicos, 25% de farmacêuticos e 10% de enfermeiros. Os utentes contribuíram com 30% das notificações recebidas.
As notificações recebidas são analisadas e avaliadas para averiguar, por exemplo, se são consideradas notificações válidas ou se são duplicadas. Depois desta avaliação, até ao momento, deram origem a 25.602 casos de reacções adversa a medicamentos.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo