O MIRANTE dos Leitores | 14-05-2019 12:30

Autarcas gostam de obras de milhões porque não têm cheta para arranjos de tostões

Autarcas gostam de obras de milhões porque não têm cheta para arranjos de tostões
O MIRANTE DOS LEITORES

Com o apoio de fundos comunitários, na maior parte dos casos a 85 por cento, fizeram-se inúmeras obras de milhões de euros na região.

Com o apoio de fundos comunitários, na maior parte dos casos a 85 por cento, fizeram-se inúmeras obras de milhões de euros na região (menos nos últimos anos). Não critico tal política, embora discorde de muitas dessas obras. O que critico é a falta de manutenção das mesmas, porque não há fundos comunitários para essa manutenção, optando os municípios por deixar a degradação atingir tal dimensão, que se torna necessário refazer o equipamento... com recurso a fundos comunitários, pois claro.

Refiro-me ao Entroncamento, que bem conheço, mencionando alguns casos emblemáticos. Há uns anos começou a ser requalificada a zona do Bonito e começou ali a ser criado um denominado Parque Verde do Bonito. O projecto não foi concluído, provavelmente por não haver mais fundos comunitários e o que foi concluído não foi mantido, havendo tantas zonas já degradadas que vai ter que ser feita... “uma grande intervenção”, provavelmente com apoio comunitário.

Um sistema de repuxos de água, pago com a tal comparticipação comunitária no âmbito de um projecto de requalificação da zona central da cidade, está inactivo e deverá estar a aguardar que muito mais coisas se degradem na zona para ser feito um novo projecto de requalificação que, pelo seu custo elevado, permita uma candidatura aos tais dinheiros de Bruxelas.

Por toda a cidade há pequenos estragos que não são reparados, presumindo eu que o esquema vá ser o mesmo. Esperar que eles alastrem para, em vez de uma reparação não comparticipada, seja feita a tal remodelação total... comparticipada a 85 por cento.
Maria C. Ribeiro

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1407
    13-06-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1407
    13-06-2019
    Capa Médio Tejo