O MIRANTE dos Leitores | 20-04-2024 18:00

Uma vergonha para a cidade e para a PSP de Santarém

É vergonhosa a situação do estacionamento em Santarém em algumas zonas.

É vergonhosa a situação do estacionamento em Santarém em algumas zonas, perante a passividade das entidades públicas e sobretudo da PSP que consegue ter polícias a fazer gratificados aos parques pagos, a multar quem não tirou o talão, mas não consegue fiscalizar o estacionamento selvagem, que prejudica a mobilidade na cidade e os cidadãos.
Na Avenida Afonso Henriques, perto da praça de toiros, a situação é, além de inadmissível, um desrespeito perante as autoridades administrativas e policiais. A câmara fez uma via partilhada com o limite de velocidade de 30kms/h para as bicicletas poderem circular na zona. Mas só quem não tem amor à vida arrisca fazê-lo,
porque há quem sem pensar nos outros estaciona na via de circulação perante a passividade da PSP que passa no local e não acha a situação estranha.
O mais incompreensível da situação da Avenida Afonso Henriques é que há estacionamento a poucos metros, no Campo Infante da Câmara. Provavelmente as pessoas que estacionam na avenida por puro comodismo e desrespeito perante os restantes concidadãos, são as mesmas que depois ao final do dia vestem uns calções ou um fato de treino bonito para irem correr ou caminhar pelas ruas da cidade e darem a imagem que são pessoas muito desportistas, ambientalistas…
Outra zona que é própria de um país terceiro-mundista é a Rua Teixeira Guedes, onde os carros estão nos passeios, em cima de passadeiras, e as pessoas andam na estrada. Curiosamente a polícia passa lá de carro mas está tudo bem, se calhar porque o que faz falta aos polícias é o mesmo que faz aos que estacionam abusivamente, que é andar a pé e sentir as dores de quem é ignorado, desvalorizado, maltratado, só porque anda a pé.
Miguel Bento

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo