O MIRANTE | 20-11-2020 07:00

“Separação do lixo é difícil pela ausência de estruturas nas nossas casas e no exterior”

“Separação do lixo é difícil pela ausência de estruturas nas nossas casas e no exterior”
ESPECIAL ANIVERSÁRIO
Vítor Martins - Director Clínico e Proprietário da Clínica do Coração, Santarém

Vítor Martins - Director Clínico e Proprietário da Clínica do Coração, Santarém.

Fechar a torneira enquanto lava os dentes ou se ensaboa no banho; separar o lixo para reciclagem; circular de carro a baixa velocidade para poluir menos e comprar electrodomésticos que consumam menos energia, mesmo que sejam mais caros, são alguns conselhos para ajudarmos a preservar o planeta. Destes, qual é aquele que não consegue seguir e porquê?

Diria que consigo cumprir todos estes objectivos sem qualquer dificuldade. No entanto, a separação do lixo é difícil de realizar pela ausência destas estruturas nas nossas casas e no exterior de modo generalizado.

Em que pensa normalmente quando se fala de verde?

Penso que a cor tem que ver com o ambiente mas o importante será a atitude individual e colectiva e em relação a isso a relação é muito fraca.

Quais são os principais problemas ambientais na sua área de residência e de trabalho?

Falta de civismo com muito lixo na rua (papéis, beatas, etc) e mau serviço da câmara municipal na manutenção de limpeza adequada com vários meses sem qualquer acção de limpeza. Espaços verdes dependentes da câmara sem manutenção periódica. Precisamos responsabilizar os políticos locais por estes problemas.

De que forma a sua empresa contribui para a defesa do ambiente?

Na minha empresa realizamos a reciclagem de todos os materiais. A limpeza e assepsia do espaço é realizada várias vezes por dia e disponibilizamos condições para os utentes e para os trabalhadores para essa mesma assepsia.

De um modo geral, a economia é privilegiada em relação ao ambiente. Há alguma possibilidade de alterar esta situação?

A economia tem sido sempre privilegiada em relação ao ambiente. Para inverter a situação apenas com elaboração de legislação adequada que todos possam cumprir.

Os países da União Europeia querem reduzir o uso de pesticidas para metade nos próximos 10 anos e ter 25% das terras agrícolas sob produção biológica. O que diria aos decisores políticos se lhe perguntassem a sua opinião?

Concordaria em absoluto e iria ainda mais além nas metas a atingir.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1483
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1483
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo