O MIRANTE | 21-11-2020 18:00

“Cuidar do ambiente tem que passar a ser o modo de vida de todos nós”

“Cuidar do ambiente tem que passar a ser o modo de vida de todos nós”
ESPECIAL ANIVERSÁRIO
Sílvia Sousa - Gerente da Casas do Gótico, Mediação Imobiliária - Santarém e Torres Novas

Sílvia Sousa - Gerente da Casas do Gótico, Mediação Imobiliária - Santarém e Torres Novas.

Os países da União Europeia querem reduzir o uso de pesticidas para metade nos próximos 10 anos e ter 25% das terras agrícolas sob produção biológica. O que diria aos decisores políticos se lhe perguntassem a sua opinião?

Ver para crer. Já ouvimos tantas vezes que o Governo vai ajudar e, no entanto, continuamos a ouvir os agricultores a pedir ajuda. O nosso governo não me parece ser tão Pró Agricultura como propagandeia. Não podem ser os agricultores de menor dimensão a ficar sempre para trás ou a ficar com os restos.

De um modo geral, a economia é privilegiada em relação ao ambiente, seja por governantes ou por empresários. Há alguma possibilidade de alterar esta situação?

A questão está apenas em fazer um “upgrade ao chip”. Já temos energias alternativas, sistemas amigos do ambiente, casas sustentáveis... a questão é que estas alternativas não são acessíveis a todos. É isto que tem de mudar. Cuidar do ambiente não pode ser só um privilégio de quem paga mais, tem de se tornar um modo de vida.

Quais os principais problemas ambientais na sua área de residência e de trabalho?

O principal problema ambiental continua a ser a falta de civismo. Existem vários ecopontos, tanto na minha área de residência como de trabalho, mas ainda há muita gente que não recicla. Nos anúncios de sensibilização ambiental da Ponto Verde, que passavam na televisão, o Chimpanzé Gervásio demorava pouco mais de uma hora a aprender a separar as embalagens, mas ao fim de doze anos há muita gente que ainda não aprendeu.

Em que pensa normalmente quando se fala em verde?

Neste momento que estamos a passar o verde tem de representar esperança. Temos de esperar por dias melhores. Também associo o verde a locais paradisíacos, como a Tailândia, para onde ia num piscar de olhos.

Fecha a torneira enquanto lava os dentes ou se ensaboa no banho; separa o lixo para reciclagem; circular de carro a baixa velocidade para poluir menos e comprar electrodomésticos que consumam menos energia, mesmo que sejam mais caros, são alguns conselhos para ajudarmos a preservar o planeta. Destes qual é aquele que não consegue seguir e porquê?

Confesso que circular a baixa velocidade não é o meu forte. Tenho uma agenda muito apertada e os meus compromissos começam cedo e acabam tarde.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1483
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1483
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo