O MIRANTE | 22-11-2020 18:00

Tudo pela defesa do ambiente... menos tirar o pé do acelerador!

Uma forma de reduzir o consumo dos veículos é circular a velocidades moderadas geralmente recomendadas pelos fabricante. Menos consumo, menor poluição. E é esta recomendação que uma grande parte de quem respondeu ao inquérito verde de O MIRANTE não consegue cumprir. Separar o lixo doméstico para reciclagem, comprar electrodomésticos com baixo consumo, mesmo que mais caros, ou fechar a água enquanto se lava os dentes ou se ensaboa no banho ainda vá que não vá. Reduzir a velocidade para poluir menos isso já é pedir demais...mesmo a grandes ecologistas. Mas alguns já encontraram uma solução. Usar uma viatura cem por cento eléctrica.

“Tendo em conta o conjunto das recomendações ambientais, não fico mal na fotografia, mas andar a baixa velocidade nem sempre cumpro, reconheço. Por vezes, a vida agitada que levo faz-me esquecer essa regra. Mas sem multas…”

Pedro Ferreira

Presidente da Câmara
Municipal de Torres Novas

Não consigo circular de carro a baixa velocidade porque, por força do meu trabalho ando sempre a “500 à hora”. Mas informo que no próximo período de programação irei propor a aquisição de viaturas eléctricas para a Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo reduzindo assim as emissões de CO2.

António Torres

Secretário Executivo da CIMLT - Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo

Não consigo circular no carro a baixa velocidade. A razão tem sobretudo que ver com a distância entre a minha casa e o meu trabalho, que é grande e perco muito tempo em viagens. Em todo o caso estou a pensar usar mais o comboio em substituição do carro logo que a pandemia passar.

António Quintela

Gerente da Sociedade Distribuidora de Gás – Agostinhos de Santarém Lda

Tenho seguido todas as recomendações para ajudar a preservar o ambiente mas, sinceramente, o mais difícil é circular de carro a baixa velocidade…

Pedro Bastos

Administrador do cluster CUF Descobertas - Hospital CUF-Santarém

No interior do meu concelho circulo, em regra, a baixa velocidade, até para melhor me aperceber de alguma(s) desconformidade(s). Confesso, no entanto, que várias vezes não o faço quando circulo em auto-estrada.

Hélder Ésménio

Presidente da Câmara
de Salvaterra de Magos

Circular de carro a baixa velocidade não consigo. Circulo dentro dos limites legais, mas o ritmo de vida e a adrenalina das funções que ocupo não permitem circular a baixa velocidade. Contudo, circulo com frequência em viaturas eléctricas ou híbridas.

João Teixeira Leite

Presidente do Conselho
de Administração da Viver Santarém

Tenho amigos que gozam com os carros eléctricos. Mas eu vou com o meu carro a todos os locais que ia com os ICE (Internal Combustion Engine). Faço as mesmas reuniões e não ando atrasado nem fico parado nas estradas. É preciso mudar o chip e adaptarmos o nosso dia-a-dia para os carregamentos e controlo da autonomia. Só custa a primeira semana. A preguiça e as zonas de conforto poluem muito!

Ramiro Matos

Presidente da Águas de Santarém

Não consigo circular a baixa velocidade especialmente durante a semana de trabalho. Com o stress do dia-a-dia acabo por me deslocar sempre a grande velocidade.

Diogo Barata

Director Comercial
da Binarystorm, Santarém

Há recomendações relativas à preservação do ambiente que me custam mais a cumprir. Tenho dificuldade em conduzir a baixa velocidade devido à intensidade com que vivo e no banho, durante o Inverno, não consigo fechar a água enquanto me ensaboo.

Nuno Castelão

Gerente da Topografia
A Persistente, Chamusca

Tenho sido capaz de cumprir todos os conselhos para ajudar a preservar o ambiente com uma excepção: não consigo andar a baixa velocidade por uma razão simples: ando quase sempre atrasado.

Diamantino Duarte

Director Geral da RSTJ - Carregueira, Chamusca

Segundo as indicações dos fabricantes de automóveis, a média de consumo é feita aos 100 km/h e é por essa informação que me guio, quer em consumo, quer em poluição. Não baixo a velocidade, tão somente nas povoações, já que necessito de chegar aos meus compromissos a horas. Nas estradas nacionais tento não ultrapassar os limites e nas auto-estradas tento respeitar os 120 km/h, já que não posso exceder essa velocidade.

José Veiga Maltez

Presidente da Câmara
Municipal da Golegã

Não consigo conduzir a baixa velocidade. O ritmo frenético em que vivemos não nos permite ter o tempo que deveríamos ter. Chegar mais rápido ao destino é uma forma de ganhar algum tempo!

Ana Sofia Neto Lopes de Sousa

Nutricionista da Associação do Hospital Civil e Misericórdia de Alhandra

Sigo todas as recomendações para defesa do ambiente. No entanto, não circulo de carro a baixa velocidade para poluir menos porque no dia-a-dia uso carro 100% eléctrico e qualquer que seja a velocidade as emissões são zero. Quando circulo a velocidade mais reduzida é para poupar energia.

João Moura

Presidente da Assembleia
Municipal de Ourém

Confesso que, como condutor, tenho o pé pesado, como se diz na gíria, mas estou a tentar corrigir esse problema apesar de ser difícil. Como presidente de câmara tenho muitas vezes de estar em diferentes locais num curto espaço de tempo.

Luís Filipe Santana Dias

Presidente da Câmara
Municipal de Rio Maior

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1482
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1482
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo