O MIRANTE | 17-11-2023 16:00

Há uma sistemática redução dos apoios à imprensa regional que coloca dificuldades à sua sobrevivência

Há uma sistemática redução dos apoios à imprensa regional que coloca dificuldades à sua sobrevivência
36 ANOS DE O MIRANTE
Paulo Bacelar de Macedo, 63 anos, director do Agrupamento de Escolas Templários, Tomar

A Inteligência Artificial está presente na nossa vida e nós não a sentimos, mas sabemos que veio para ficar e vamos ter de viver com ela tirando partido das suas enormes potencialidades.

Consegue explicar, com um ou dois exemplos, como acha que seria a sua vida, a nível pessoal e profissional, num país não democrático?

Vivi até aos 13 anos num Portugal com uma ditadura fascista derrubada pelo 25 de Abril de 1974. A nível pessoal e profissional a vida seria a de um preso político às mãos de uma polícia do regime, a PIDE, como se verificou com muitos milhares de portugueses. Lutar pela liberdade, pela democracia e pelo socialismo dava direito à prisão, tortura ou até morte.

O que foi para si o 25 de Abril de 1974?

O 25 de Abril de 1974 acabou com 48 anos de ditadura fascista e realizou profundas transformações democráticas, restituiu a liberdade aos portugueses, consagrou direitos, impulsionou transformações económicas e sociais. Acabou com a Guerra Colonial. Criou o Poder Local Democrático.

Se tivesse que classificar a classe política que vai festejar os 50 anos do 25 de Abril na Assembleia da República que pontuação lhe dava de 1 a 10?

A classificação da classe política seria de 10 para o grupo parlamentar do PCP. Como o grupo parlamentar é pequeno a média, em geral, possivelmente será baixa, por isso fico-me pelo 5.

Há cada vez mais pessoas que optam por ser informadas através do que lhes chega pelas redes sociais. É o seu caso?

Os órgãos de informação também estão presentes nas redes sociais. Por isso sim também me informo pelas redes sociais. Não contabilizando essa percentagem não dispenso a leitura dos órgãos de informação que habitualmente leio, semanalmente, assim como as revistas. Considero que o futuro continuará a ter muito de digital mas não dispenso o papel.

A informação devia ser toda gratuita e de acesso livre? Como acha que isso poderia ser feito?

A informação fidedigna e de qualidade, independente do poder político e do poder económico, exige muito trabalho e tem de ser paga. Para ser gratuita e de acesso livre utilizem-se as bibliotecas públicas. Ou, como já acontece nas grandes superfícies comerciais, nos seus espaços de leitura.

Há muitos jornais em dificuldades e alguns já deixaram de se editar, nomeadamente regionais? É algo que o preocupa?

Preocupa-me mais a situação dos jornais de âmbito regional que foram muito prejudicados com o fim do porte pago a 100%. O que se verifica é a sistemática redução dos apoios à imprensa regional e a criação de crescentes dificuldades à sobrevivência das publicações que insistem em manter-se vivas.

A Inteligência Artificial está presente, cada vez mais, na nossa vida? Está confortável com o que se está a passar?

A Inteligência Artificial está presente na nossa vida e nós não a sentimos mas sabemos que veio para ficar e vamos ter de viver com ela tirando partido das suas enormes potencialidades.

As alterações climáticas são uma realidade ou há muito exagero no que é apresentado? Vale a pena alterarmos alguns comportamentos?

As alterações climáticas têm impactos generalizados e profundos exercendo pressão sobre sistemas naturais e humanos em todo o mundo. Sim, os comportamentos podem e devem ser alterados. Um dos meus contributos é separação do lixo por ecopontos. Mas só com o fim do modelo de exploração capitalista dos recursos naturais na degradação ambiental se atenuam as alterações climáticas.

Na Constituição da República estão inscritos os direitos e os deveres dos cidadãos. É capaz de indicar dois ou três dos nossos deveres constitucionais?

Posso referir estes: Os pais têm o dever de educação e manutenção dos filhos (Artigo 36.º). O exercício do direito de sufrágio é um dever cívico (Artigo 49.º). Todos têm direito à protecção da saúde e o dever de a defender e promover (Artigo 64.º).

Qual foi o último texto que leu em O MIRANTE de que gostou?

O MIRANTE é para mim um jornal de leitura de notícias regionais e pelas redes sociais leio o que diz respeito ao concelho de Tomar e outros assuntos que me interessam.

O que é que não lhe perguntamos que gostava de responder?

Por exemplo, qual seria a importância da implementação da Regionalização (regiões administrativas) prevista na Constituição?

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo