Opinião | 11-02-2020 18:00

Tramóias e rambóias com ambulâncias à mistura

Tramóias e rambóias com ambulâncias à mistura
OPINIÃO

Emails do outro mundo

Vulcânico Serafim das Neves

É lamentável que tenha sido montada uma armadilha para apanhar um bombeiro de Coruche a conduzir uma ambulância com álcool a mais no sangue. O valente soldado da paz queixa-se e com razão. Se não tivesse sido tramado, tinha feito a viagem toda sem problemas, mesmo com o grão na asa. Assim, ficou tão indignado, tão indignado, que, mesmo que o deixassem continuar a conduzir, não podia, por estar todo a tremer.

Este tipo de ignóbil perseguição está a aumentar e não há quem lhe ponha cobro. Eu próprio suspeito que também me montaram uma armadilha a semana passada quando me aplicaram uma multa por ter estacionado em cima de um passeio, mesmo em frente a uma garagem mas sem incomodar ninguém. Esta caça à multa devia ser firmemente condenada, ilegalizada, erradicada.

Já agora, aquela treta de anunciarem com antecedência os locais onde vão estar os radares também não iliba ninguém. Uma pessoa não pode estar constantemente a lembrar-se de tudo. É uma violência. Aqueles avisos são sádicos. Servem apenas para aliviar as consciências das autoridades no momento em que nos passam mais um bilhete. E andamos nós a pagar impostos para isto!! E vais ver que um dia destes o Centeno ainda mete IVA a 23 por cento nas multas.

Quem também anda a ser perseguido é o presidente dos bombeiros de Constância, o tal que montou na corporação um negócio de transporte de doentes com uma frota de mais de vinte ambulâncias e quarenta condutores, fazendo do pequeno concelho aquele que tem mais ambulâncias por habitante e por metro quadrado, em todo o Mundo.

Ele reclama o pagamento, por parte do Centro Hospitalar do Médio Tejo, de uma dívida de 700 mil euros relativa a serviços de transporte, mas o tribunal decidiu que a corporação é que tem que pagar mais de dois milhões de euros ao Centro Hospitalar por ter falhado muitos transportes. É perseguição ou não é?!! Como é possível penalizar os nossos bombeiros desta maneira. Que violência! Que falta de respeito por quem nos protege de fogos, cheias e outras calamidades.

Castiga-se o empreendedorismo em vez de o incentivar. Atacam-se negócios rentáveis em vez de os apoiar. Este homem merecia o Galardão de empresário do ano, Serafim. É por estas e por outras que este país nunca mais anda para a frente.

O comandante passou agora a presidente e quem lhe herdou o lugar de comandante foi o filho que, palpita-me, também um dia será presidente, porque a sucessão dinástica assim o impõe e porque é a lei natural das coisas. Não é por acaso que se diz que os bombeiros são uma grande família.

Por falar em empreendedorismo não posso fechar este e-mail sem falar no empreendedorismo cultural da Câmara do Entroncamento. Um mês depois de inaugurar o novo cine-teatro decidiu dar oportunidade aos munícipes de subirem ao palco, como se fossem artistas, e experimentarem o conforto dos camarins através da organização de visitas guiadas à famosa obra. Por agora, pelo que percebi, as visitas só dão direito a andar por lá em grupo, com o guia ao lado, mas não é difícil imaginar que, dentro em breve, será possível a qualquer portador de atestado de residência apresentar o seu próprio espectáculo, seja de teatro, circo, dança ou cantoria. É a democratização total da cultura.

Saudações galhofeiras

Manuel Serra d’Aire

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1443
    29-01-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1443
    29-01-2020
    Capa Vale Tejo